Jordan Strauss/AP
Jordan Strauss/AP

Sundance trabalha para tornar festival de cinema mais seguro após escândalo sexual em Hollywood

Algumas das acusações contra Harvey Weinstein envolvem incidentes que supostamente aconteceram no festival

Piya Sinha-Roy, Reuters

30 de novembro de 2017 | 11h37

Organizadores do Festival Sundance de Cinema dizem estar trabalhando com autoridades da lei para tornar o mostruário anual do cinema independente em janeiro um local mais seguro após acusações de assédios sexuais se alastrarem por Hollywood.

“O Sundance é realmente o primeiro grande encontro da comunidade após tudo que aconteceu. Então nós estamos buscando maneiras para formar uma comunidade em volta disto... e tornando isto muito seguro - não somente um espaço seguro para você fazer seu trabalho, mas um espaço seguro para falar sobre estas questões”, disse o diretor do festival, John Cooper, à Reuters.

“Nós sempre trabalhamos de perto com autoridades locais da lei e também com seguranças em hotéis. Nós estamos aumentando o jogo no que diz respeito ao código de conduta. Nós sempre tivemos um código de conduta para nossos funcionários e voluntários e nós estamos apresentando isto amplamente para toda a comunidade”, acrescentou.

O produtor de cinema Harvey Weinstein, anteriormente uma grande força em filmes independentes em uma parte essencial do Sundance, foi acusado por mais de 50 mulheres de assédio ou abuso sexual durante as últimas três décadas.

** Brett Ratner está fora das sequências de 'Mulher Maravilha' por exigência de Gal Gadot

Algumas das acusações contra Weinstein envolvem incidentes que supostamente aconteceram no festival Sundance, de 10 dias, em Park City, Utah.

Weinstein negou ter feito sexo não consensual com qualquer pessoa. A Reuters não pôde confirmar de forma independente qualquer uma das acusações.

** Em 1979, Meryl Streep acusou Dustin Hoffman de assédio

Diversos atores, cineastas e empresários de Hollywood foram demitidos ou se afastaram nos últimos dois meses após acusações de condutas sexuais irregulares contra eles. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.