Eric Gaillard / Reuters
Eric Gaillard / Reuters

Strauss-Kahn vai processar o cineasta Abel Ferrara

Ex-diretor do FMI alega ser difamatório 'Welcome to New York', filme que sugere ter estuprado funcionária de hotel

EFE, Cannes

19 de maio de 2014 | 10h09

O ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn vai apresentar, nos próximos dias, uma denúncia por difamação contra o cineasta Abel Ferrara por seu filme que trata da detenção de Strauss-Kahn em Nova York.

Em entrevista à rádio Europe 1 nesta segunda-feira, Jean Veil, advogado do executivo, afirmou que Strauss-Kahn ainda não assistiu ao longa Welcome to New York, mas que está “assustado e enojado” com a repercussão que teve o lançamento, sábado à noite, em uma sessão extraoficial no Festival de Cannes.

Ao contrário de sua ex-mulher Annie Sinclair, que assegurou que não dará aos responsáveis pelo filme o “prazer” de serem levados ao tribunal, Strauss-Kahn deu instruções a seus advogados de apresentar uma denúncia, segundo Veil.

O advogado afirmou que o filme sugere que o ex-diretor do FMI teria estuprado uma funcionária do hotel Sofitel, em New York, no dia 14 de maio de 2011, acusação que os tribunais dos Estados Unidos terminou por rejeitar. 

“O fundamento da denúncia será a difamação e se baseará no conjunto de extratos sobre a violação e como Dominique Strauss-Kahn é tratado”, disse o advogado. Veil disse que “não ter dúvidas” de que o filme é baseado na vida de seu cliente, como também demonstram as entrevistas dadas pelos responsáveis. 

O advogado disse que seu cliente não viu o filme “e que não verá”, seguindo conselhos de parentes que assistiram ao longa e o consideraram “abominável”. Veil disse ainda que Strauss-Kahn não pretende proibir a exibição do filme porque os procedimentos são demasiados longos.

A reação do advogado de Strauss-Kahn vem um dia depois do de Anne Sinclair que, na edição francesa do Huffington Post, que ela dirige, mostrou seu “nojo” pelo filme, criticando duramente os responsáveis. Welcome to New York tem Gérard Depardieu no papel de Strauss-Kahn e Jacqueline Bisset como Anne Sinclair.

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaStrauss KahnFestival de Cannes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.