Chris Pizzello/Invision/AP, File
Chris Pizzello/Invision/AP, File

Steven Spielberg promove boicote a Netflix e empresa de streaming responde

O diretor acredita que as produções do serviço de streaming deveriam ficar restritas ao Emmy

Redação, EFE

04 de março de 2019 | 17h04

Apesar de ter levado quatro estatuetas do Oscar deste ano - três para Roma e um para o documentário Absorvendo o Tabu, a Netflix ainda é alvo de desconfiança por parte de diretores de Hollywood. Um deles é Steven Spielberg, que demonstrou estar incomodado com o sucesso da empresa de streaming.

Durante uma reunião anual do conselho da Academia, Spielberg propôs fazer uma mudança nas regras da premiação para impedir que obras feitas por streaming possam competir no Oscar.

Segundo a revista IndieWire, o diretor acredita que tais produções deveriam ficar restritas ao Emmy - premiação dedicada a séries. Ele chegou a fazer campanha para que outros diretores apoiassem a mudança.

Mas a crítica não passou despercebida. A Netflix publicou um tuíte, nesta segunda, 4, em resposta: "Amamos cinema. Aqui estão outras coisas que também amamos: acesso a pessoas que nem sempre podem pagar o ingresso ou que vivem em cidades sem cinemas; deixar qualquer um, em qualquer lugar, aproveitar os lançamentos ao mesmo tempo; dar aos cineastas mais meios para compartilhar sua arte". E finalizou: "Essas coisas não são mutuamente excludentes".

Tudo o que sabemos sobre:
Steven Spielberg

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.