Andrew Winning|Reuters
Andrew Winning|Reuters

'Star Wars: O Despertar da Força' mantém mistério a uma semana da estreia mundial

Longa não foi exibido para as associações de críticos e sindicatos

Mariane Morisawa, ESPECIAL PARA O ESTADO

07 de dezembro de 2015 | 16h28

A pouco mais de uma semana da estreia mundial, Star Wars: O Despertar da Força conseguiu manter o mistério. O filme dirigido por J.J. Abrams, que dá sequência à saga criada por George Lucas, não foi exibido para as associações de críticos, nem para os sindicatos de produtores, diretores e atores nem para a Hollywood Foreign Press Association, que distribui os Globos de Ouro - daí sua ausência nas listas de melhores do ano. Não foi diferente para os jornalistas que participaram do evento para a imprensa doméstica e internacional no domingo, 6, no gigantesco Los Angeles Convention Center. 

Na coletiva de imprensa, a produtora Kathleen Kennedy explicou a decisão. “Desde o começo, respeitamos os fãs. E eles querem ser surpreendidos. Hoje em dia, é muito difícil manter o segredo sobre um longa, muitas vezes o trailer entrega tudo. Muita gente me disse que não estava lendo nada para poder ter uma surpresa.” O diretor J.J. Abrams, que chegou a mentir descaradamente sobre a verdadeira identidade do vilão de Além da Escuridão - Star Trek, adorou, claro. “A Disney, para meu choque, não queria revelar nada.” Mas a vontade de esconder as coisas não impediu que o elenco, Kennedy, Abrams e o roteirista Lawrence Kasdan dessem algumas pistas em suas conversas com a imprensa. Os fãs, por exemplo, podem respirar aliviados: nem Jar Jar Binks nem os Ewoks dão as caras. Portanto, está furada a ideia de que Kylo Ren (Adam Driver) é, na verdade, Jar Jar Binks. 

Mas o próprio John Boyega, que faz o Stormtrooper (pelo menos no início) Finn, contribui para as teorias da conspiração. “Ainda tenho minhas dúvidas sobre a origem do meu personagem”, afirmou. “Falei muito com a Daisy Riley (que faz Rey, a outra protagonista), que não é possível que nossas histórias sejam tão simples”, completou o ator, olhando para Kathleen Kennedy, dando a entender que, talvez, tivesse revelado demais. Brincalhão, logo em seguida perguntou a Gwendoline Christie, que faz Capitã Phasma no filme e Brienne de Tart em Game of Thrones, se Jon Snow, personagem da série da HBO, estava mesmo morto. “Não sei, só leio minhas partes do roteiro”, escapou a atriz. 

O veterano Harrison Ford contou que aceitou voltar ao papel de Han Solo porque achou que seria divertido. “E foi”, disse o normalmente lacônico ator. Pouco depois, voltou ao assunto. “É familiar, é bom estar em casa, como diz Han no teaser.” Lawrence Kasdan brincou que seu critério e de J.J. Abrams era “difícil”. “Nossa pergunta era somente: gostamos disso?”, contou. “Sabíamos do espectro do universo, com os outros filmes sendo desenvolvidos, mas não queríamos regras nem parâmetros.” O roteirista contou que suas inspirações foram Akira Kurosawa e seriados como Flash Gordon, que também influenciaram George Lucas originalmente.  

Quem mais deu pistas sobre seu personagem foi Adam Driver, famoso pela série Girls, que interpreta Kylo Ren. “Não penso nele como sendo mau, como sendo um vilão. Ele é mais perigoso e imprevisível porque tem uma justificativa moral para fazer o que faz”, disse. O ator também falou sobre a passagem do tempo na série - a nova aventura acontece cerca de 30 anos depois dos eventos de O Retorno de Jedi. “As mesmas coisas ainda estão acontecendo, que é o que ocorre na vida real. Temos memória curta para tragédias, genocídios. No fim, as mesmas pessoas estão no comando. Nada muda realmente.” 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Star WarsGeorge LucasHarrison Ford

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.