Neil Hall
Neil Hall

'Star Wars' defende poder feminino com novas histórias e brinquedos de heroínas

A animação 'Forces of Destiny' é para os que se sentiram inspirados pelo heroísmo de Leia, pela coragem de Rey ou pela tenacidade de Ahsoka

Reuters

13 Abril 2017 | 16h18

A franquia Star Wars está investindo no poder feminino com uma nova série de curtas de animação com heroínas como a Princesa Leia, Rey e Jyn Erso.

A Walt Disney e a Lucasfilm anunciaram nesta quinta-feira que Star Wars: Forces of Destiny irá focar nas "histórias não contadas do heroísmo cotidiano que molda os destinos das principais personagens femininas da franquia".

A decisão é a mais recente adotada pela Disney para ampliar o público majoritariamente masculino da série "Star Wars", que comemora o 40º aniversário do primeiro filme de 1977 com Carrie Fisher, Harrison Ford e Mark Hamill.

Os curtas de 2 a 3 minutos serão lançados no Disney YouTube em julho e seguidos por mais curtas no canal Disney Channel no outono norte-americano. Uma leva de novos bonecos, além de outros produtos, também será lançada.

Star Wars: Forces of Destiny é para todos que se sentiram inspirados pelo heroísmo de Leia, pela coragem de Rey ou pela tenacidade de Ahsoka", disse Kathleen Kennedy, presidente da Lucasfilm, em um comunicado.

As atrizes Daisy Ridley (Rey), Felicity Jones (Jyn) e Lupita Nyong'o (Maz Kanata) irão dublar suas personagens. A voz da Princesa Leia, interpretada no cinema por Carrie Fisher, ficará por conta de Shelby Young, já que Carrie morreu de um ataque cardíaco súbito em dezembro.

John Frascotti, presidente da fabricante de brinquedos Hasbro, disse em um comunicado que a base de fãs de Star Wars se ampliou ao longo destes 40 anos e que a linha de brinquedos Forces of Destiny irá "ajudar a atrair novas plateias, além de ter apelo para os fãs atuais".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.