Sri Lanka proíbe exibição de O Código Da Vinci

O presidente do Sri Lanka, Mahinda Rajapakse, ordenou à Comissão Nacional de Espetáculos Públicos (PPB) que proíba a estréia do filme O Código Da Vinci nas salas de cinema do país. Segundo o jornal Daily News, a decisão do presidente cingalês atende a um pedido da Conferência de Bispos do Sri Lanka. Eles consideraram o filme "produto de uma mente totalmente pervertida"."O livro já causou muita confusão entre a verdade e a ficção", disse a Conferência Católica, em carta ao presidente, acusando o texto de ser "manipulador" e "uma apresentação odiosa, falsa, injusta e irreverente de Jesus Cristo e da Igreja Católica"."O filme afeta as crenças mais sagradas de nosso povo, ao acusar à Igreja Católica de ser essencialmente uma ampla rede baseada em manter a mentira sobre a divindade de Cristo", disseram.Os bispos reconheceram que a criatividade artística requer um ambiente livre, mas insistiram que a liberdade deve ser acompanhada de responsabilidade.Por enquanto não foram proibidos o livro nem o DVD, que deve ser lançado no próximo ano. Além disso, será possível assistir ao filme na TV paga. O Código Da Vinci, filme de Ron Howard estrelado por Tom Hanks e baseado no best-seller homônimo de Dan Brown, invadiu as telonas do mundo todo em 19 de maio, dois dias depois de abrir o 59.º Festival de Cannes, na França.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.