Spike Lee volta à carga com "A Última Noite"

Spike Lee causou furor em Berlim quando o seu A Hora do Show atacou a indústria audiovisual dos Estados Unidos pela maneira preconceituosa como retrata os negros. Três anos depois, passados o atentado terrorista em Nova York e duas guerras, o diretor americano está de volta com mais uma produção polêmica. A Última Noite (The 25th Hour) fala de outra guerra, a do tráfico de drogas, mas tem como pano de fundo a Nova York neurótica pós-11 de setembro (Leia entrevista com Spike Lee).O diretor, mais uma vez, não poupa ninguém. Em uma das melhores cenas, o traficante arrependido Monty Brogan, interpretado por Edward Norton, repete na frente do espelho "fuck you" para todos os imigrantes de Nova York. Mas o protagonista não é o típico traficante frio e inescrupuloso, mas sim um homem hipócrita, que fez fortuna com as drogas, freqüentou as melhores boates e tem amigos influentes. Mas quando é delatado à polícia, Monty se arrepende e tenta se reaproximar da família e dos verdadeiros amigos em suas últimas 24 horas de liberdade.Os atentados às torres gêmeas estão presentes no filme todo. Um dos diálogos entre os amigos de Monty, Philip Seymour Hoffman (Jakob Elinsky) e Barry Pepper (Frank Slattery), se dá na janela do apartamento de Barry, cuja paisagem é o terreno devastado do World Trade Center. Lee até faz menção ao velho sonho americano de desbravar o oeste, em mais um final que celebra o que o diretor mais sabe fazer: provocar polêmica.

Agencia Estado,

23 de maio de 2003 | 10h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.