REUTERS/Eric Gaillard
REUTERS/Eric Gaillard

Spike Lee muda de direção com musical sobre Viagra

Lee irá dirigir o filme ainda sem título que coescreveu sobre a descoberta e o lançamento do remédio para disfunção erétil

Agências, Reuters

17 de novembro de 2020 | 19h11

LOS ANGELES - O diretor norte-americano Spike Lee, conhecido por fazer filmes sobre a experiência de ser negro nos Estados Unidos, está mudando de curso com seu primeiro musical da carreira, sobre o medicamento Viagra

Lee irá dirigir o filme ainda sem título que coescreveu sobre a descoberta e o lançamento do remédio para disfunção erétil. O roteiro é baseado em um artigo de 2018 da revista Esquire intitulado Todos de Pé, disseram os produtores na terça-feira. 

As canções originais e a música serão escritas pela dupla responsável pelo musical Passing Strange, vencedor dos prêmios Tony de 2008, sobre a jornada de autodescoberta de um artista negro.



O diretor de 63 anos disse em nota que cresceu odiando musicais, apesar dos esforços de sua mãe. "Finalmente, chegando em minha quarta década como cineasta eu irei dirigir um musical dançante e cantante", acrescentou Lee. 

O Viagra, da farmacêutica Pfizer, lançado em 1998, foi desenvolvido originalmente como um potencial tratamento para dores torácicas relacionadas a problemas cardíacos. 

Lee venceu seu primeiro Oscar em 2019 pelo roteiro de Infiltrado na Klan, filme no qual satiriza a Ku Klux Klan. Seus mais de 50 filmes e documentários incluem clássicos como Faça a Coisa Certa, Malcolm X e o drama de sobreviventes da Guerra do Vietnã lançado neste ano Destacamento Blood".

Tudo o que sabemos sobre:
Spike LeeViagracinemaPfizer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.