Spike Lee homenageia New Orleans em documentário

Às vésperas do aniversário de um ano da passagem do furacão Katrina, o diretor Spike Lee estréia nesta terça-feira seu documentário sobre New Orleans, com o qual presta uma homenagem humana e histórica à cidade. Com o título "When the Levees Broke: A Requiem in Four Acts", a rede "HBO" transmite a primeira parte das quatro horas do documentário realizado em homenagem às vítimas do Katrina.O furacão chegou à cidade em 29 de agosto, com categoria 5 (na escala Saffir-Simpson, que vai de um a cinco). Ao tocar a terra, o Katrina tinha categoria 3, mas isso não o impediu de se tornar responsável pelo desastre natural mais devastador da história dos EUA.A ruptura dos diques e a desorganização nas operações oficiais de ajuda e resgate deixaram mais de 1.300 mortos, um milhão e meio de desabrigados e danos materiais de mais de US$ 125 milhões em uma cidade que teve 80% de seu território inundado.Lee, de 49 anos, estava em Veneza quando o Katrina chegou à cidade, mas desde o primeiro momento soube que era necessário documentar a tragédia, um sentimento partilhado por Sheila Nevins, presidente da rede de televisão por assinatura "HBO".Artistas falam sobre o Katrina"When the Levess Broke: A Requiem in Four Acts" mostra depoimentos de cerca de 100 pessoas entre moradores, vítimas e refugiados, de todas as classes sociais. O documentário dá voz aos políticos como a governadora da Louisiana, Kathleen Blanco, o prefeito de New Orleans, Ray Nagin e ativistas como Harry Belafonte. Também se pronunciam os artistas Sean Penn, Kanye West e Terence Blanchard.Não existe uma voz em "off" que dirija o curso das quatro horas de projeção. Lee preferiu deixar que o documentário fale por si mesmo, sem participar de uma campanha promocional que o obrigue a falar por sua obra.Com suas imagens, "When the Levess Broke: A Requiem in Four Acts" relembra a retirada tardia, apesar das advertências sobre a força do Katrina, e a fraqueza das represas, cuja ruptura é considerada "a maior falha de um sistema de engenharia civil na história do país".O documentário também mostra a falta de comunicação entre os organismos de ajuda, quando mais de 50 mil pessoas se refugiavam no Superdome.Primeira exibição rendeu vaias a BushEmbora a culpa seja dividida entre todos as esferas governamentais, "When the Levees Broke" não deixa de mostrar as imagens da lenta resposta da máxima autoridade do país, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.Bush recebeu vaias durante a primeira projeção do filme, em New Orleans, cidade que Lee visitou oito vezes após a catástrofe. A exibição foi realizada para 12 mil pessoas, muitos sobreviventes do Katrina, no Coliseu da cidade, a alguns metros do Superdome.O documentário começa com a nostálgica música de Louis Armstrong "Do You Know What It Means To Miss New Orleans", em homenagem aos que ainda não puderam voltar à cidade e aos que nunca voltarão."New Orleans está lutando por sua vida. Por isso o filme mostra a luta da cidade com um olho nas terríveis perdas, mas também no espírito indomável dos que ali estavam", resumiu o diretor nova-iorquino em sua única nota à imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.