Spielberg e Hank divertem-se em Veneza

Em Veneza, durante a entrevista coletiva sobre O Terminal, novo filme de Steven Spielberg, que estreou nos Estados Unidos há dois meses e foi escolhido para abrir o festival de cinema mais antigo do mundo, Spielberg não fez comentários sobre a escolha considerada fraca, por muitos.Consciente dos problemas atuais do mundo, o cineasta ofereceu o cinema como forma de alívio. ?O público sempre mostrou sua necessidade de fugir quando o mundo está em crise. Cineastas de todo mundo sempre estiveram lá seja para refletir a crise, ou com filmes de puro escapismo, como ficções-científicas, fantasias, comédias?, disse.Falando de fuga, O Terminal, estrelado por Tom Hanks, fala de um homem da Europa Oriental que tenta entrar nos Estados Unidos mas é barrado no aeroporto John F. Kennedy, de Nova York, de onde não pode sair. O ator também esteve presente em Veneza para promover o filme, proporcionando alguns momentos engraçados. Sobre sua carreira, Hanks brincou: ?Não tenho culpa se alguém cometeu o terrível erro de me dar tantos trabalhos?. Além de Spielberg e Hanks, outras estrelas que devem comparecer ao festival são Denzel Washington, John Travolta, Meryl Streep, Quentin Tarantino, Robert De Niro, Angelina Jolie, Will Smith e Al Pacino. O dia também esteve agitado para a exibição de A Love Song for Bobby Long, estrelado por Travolta e Scarlett Johansson, bem como os grandes concorrentes ao Leão de Ouro: 5x2, do francês François Ozon, e o drama grego Delivery, de Nikos Panayotopoulos. Outras obras que serão exibidas nesta edição são Birth, com Nicole Kidman, a adaptação de Mira Nair do romance do século 19 de Thackeray, Vanity Fair, Vera Drake, do britânico Mike Leigh; Land of Plenty, do alemão Wim Wenders, e Promised Land, do israelense Amos Gitai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.