José Patrício/AE
José Patrício/AE

SPCine é inaugurada com edital de R$ 20 mi

Primeiro grande edital vai destinar R$ 20 milhões à produção e distribuição do cinema e de TV

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

28 Janeiro 2015 | 21h56

 Uma parceria de RS 20 milhões com a Ancine é um dos primeiros passos da nova SPCine, inaugurada oficialmente na noite desta quarta, na Praça das Artes, no centro da cidade.

Com inscrições previstas para iniciar em março,  o primeiro grande edital da SPCine vai distribuir R$ 12 milhões para produções do cinema, R$6 milhões para distribuição e R$ 2 milhões para produções de pilotos para a TV.

Outra iniciativa é uma parceria da empresa com o Canadá,  em um investimento de 200 mil dólares canadenses. Metade do dinheiro vem da Secretaria Municipal e metade do Canada Media Fund, numa parceria que pretende estimular o desenvolvimento de produções de TV, de web e games. Os projetos serão de coprodução entre produtoras paulistas e canadense. 

Dois outros projetos da SPCine que já estão ao menos parcialmente implantados devem ganhar musculatura a partir deste ano. Um deles é o Circuito SP de salas de cinema, que pretende construir e capacitar salas nos equipamentos culturais da prefeitura para ampliar o circuito comercial da cidade.

Outro é o Laboratório de Experimentação e Inovação Audiovisual (Leia), já instalado na Lapa, um espaço com estúdios, oficinas e infraestrutura para produções que deve ter o acesso facilitado.

O anúncio foi feito pelo presidente da empresa, Alberto Manevy, na cerimônia na Praça das Artes na noite desta quarta, 28, que teve ainda a presença do Ministro da Cultura Juca Ferreira, do secretário de Estado da Cultura Marcelo Araújo, do prefeito Fernando Haddad, do secretário municipal Nabil Bonduki e do presidente da Ancine Manoel Rangel. 

"A SPCine é resultado da expectativa de uma cidade mais humana, com maior qualidade de vida", disse Manevy. "Ela vai fortalecer o ambiente de plena liberdade de expressão". De acordo com o presidente da SPCINE,  o crescimento do número de salas, a articulação com outras empresas do audiovisual e o desenvolvimento de novos modelos de negócios estão entre as principais metas da empresa.

No início do seu discurso,  o Haddad se referiu ao jornalista José Simão. "Ele diz que eu pareço um galã de Bollywood, então estou esperando o convite para fazer uma ponta em dos filmes que vocês vão produzir", disse, se dirigindo à plateia de aproximadamente 300 pessoas presentes.

"Essa é uma empresa que já nasce grande", comentou Haddad. A SPCine tem um orçamento inicial de R$ 65 milhões: R$ 25 milhões da prefeitura,  R$ 25 milhões do governo do estado e R$ 15 milhões da Ancine. "Com ela, podemos ter um horizonte em que o cinema não tenha caráter eventual, e para isso o investimento público é imprescindível." Antes de citar o filme argentino Relatos Selvagens e sua relação com o urbano, o prefeito disse acreditar que o suporte dado pela SPCine possa até superar indústrias estrangeiras, como da Argentina,  do Irã e da Índia. 

"Cinema é algo caro de se fazer, então precisamos sempre desses fomentos", comentou o premiado diretor Daniel Ribeiro, um dos muitos presentes na cerimônia. "É um bom sinal ver um esforço conjunto das três esferas de governo", afirmou. "Sou otimista."

Mais conteúdo sobre:
cinemaspcine

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.