SP ganha sala digital de cinema

Aos poucos, os ?modernos? projetores de filmes 35 mm estão sendo relegados ao segundo plano e, em um futuro não tão distante, dividirão espaço nos museus com os antigos cinematógrafos idealizados pelos irmãos Lumière. Nesta terça-feira, abre as portas em São Paulo a segunda sala digital de cinema do País, e 45.ª em todo o mundo. Até o final do ano, segundo a TeleImage, empresa responsável pela novidade, serão cinco as salas digitais brasileiras, e em três anos, 100.A mudança tecnológica não se restringe à saída de cena do projetor de 35 mm. Com a nova tecnologia, denominada "Casablanca Digital System", o filme é digitalizado, armazenado em um servidor de alta performance da belga EVS e transmitido via projetor digital Christe Digital, com definição de imagem superior à da tradicional película de 35 mm.O sistema Casablanca, em outros termos, dispensa o uso do tradicional rolo. Armazenado em hard disk ? cada película ocupa em média 80 gigabyte ?, o filme não entra em contato com partes móveis que possam danificá-lo. O novo sistema possibilita ainda a transmissão de eventos ao vivo.De acordo com o CEO da TeleImage, Patrick Siaretta, a chegada à primeira centena de salas digitais possibilitará a transmissão do mesmo filme a centenas de salas via satélite. "A transmissão dependerá das empresas de comunicação e das redes de cinema", comenta. As novas salas, explica o executivo, serão instaladas em mercados estratégicos, como as capitais, e depois levadas a municípios menores.Nova história - A primeira sala digital brasileira foi inaugurada em dezembro, no Rio de Janeiro. O México possui uma sala, os Estados Unidos, 35 e a Europa, 7. "Entretanto, somente no Brasil há exibição digital contínua", afirma Siaretta, comparando ao sistema internacional, em que há alternância entre projeção digital e 35 mm.O custo de instalação de uma sala digital acompanha a escala de definição de imagem. Uma sala digital, calcula Siaretta, não sai por menos que US$ 300 mil, somando-se apenas os gastos com infra-estrutura técnica. "Esse valor equivale a sete vezes o custo de um equipamento de projeção 35 mm", diz.A nova sala, resultado de parceria entre a TeleImage e a rede UCI, fica no Shopping Jardim Sul, no bairro do Morumbi, em São Paulo. A Intel, fabricante do processador utilizado no servidor de alta perfomance, é a patrocinadora das duas salas nacionais.Leia mais sobre o setor de Tecnologia da Informação no AE Setorial, o serviço da Agência Estado voltado para o segmento empresarial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.