Só se houver um cataclismo Mathew McConaughey e Jared Leto deixarão de ganhar os prêmios no Oscar 2014

Matthew McConaughey renasceu, ousou ao investir em papeis contrários à imagem de galã

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

28 de fevereiro de 2014 | 15h16

Christian, Raymond, Antoine, Zachary e Yvan. São os cinco irmãos de C.R.A.Z.Y., o longa do franco-canadense Jean Marc Vallée que virou cult na Mostra. A história de uma família conservadora e uma crônica das transformações dos anos 1960 e 70, vistas pelo ângulo de Zac, o garoto que vai sair do armário. O sucesso foi tão grande que Jean-Marc Vallée foi cooptado para filmar nos EUA. Clube de Compras Dallas concorre em categorias importantes do Oscar. Só se houver um cataclismo Mathew McConaughey e Jared Leto deixarão de ganhar os prêmios de melhor ator e melhor ator coadjuvante.

Clube de Compras inscreve-se no que, nos EUA já se chama de ‘McConaussance’, Durante muito tempo, o ator parecia confortável na pele de galã em comédias românticas que não lhe erxigiam mais que a estampa. E, aí, algo se passou, e num período incrivelmente curto. McConaughey renasceu, ousou. Investindo em papeis contrários à imagem de galã. Em Clube de Compras, faz o sujeito homofóbico e misógino que, de repente, se descobre portador do viurus da aids. O ano é 1985 e, naquele momento, a doença equivale a uma sentença de morte imediata.

O médico lhe dá uma sobrevida de 30 dias. O personagem vai lutar para ampliar o prazo da própria validade. Combate governo, laboratórios e o organismo que valida e controla medicamentos nos EUA. Deixa de ser homófobo e se une aos gays em sua luta pela vida. McConaughey perdeu peso, virou pele e osso, mas sua interpretação nuançada vai além do tour de force físico. Jared Leto libera a mulher dentro dele. Aprendem a se respeitar, e estimar. A história é real, mas ficcionalizada. Tem a ver com homossexualidade, mas não é (só) sobre isso. De novo, Vallée dá seu testemunho de época. Fala de dignidade e de família, a de sangue e a que elegemos. É um belo filme.

Tudo o que sabemos sobre:
Prêmio Oscar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.