Shyamalan e Hulk buscam nova chance no cinema

A lista de estréias de cinema nestefim de semana pode ser vista como um duelo entre duas "segundaschances" em Hollywood -- um remake do fracassado Hulk e um novofilme de um diretor elogiado, mas que vem de um retumbantefiasco. A julgar pelas resenhas, o favorito para vencer a briga nasbilheterias é "O Incrível Hulk", o grandalhão radiativo doestúdio Marvel que já havia sido levado à telona em 2003. Críticos dizem que a nova versão, enfatizando a ação sobrea introspecção, é muito melhor que a primeira, que até teve umaestréia satisfatória, mas frustrou os fãs do personagem. Já "Fim dos Tempos", a outra estréia importante da semana,recebeu comentários bem menos calorosos. O filme marca oregresso de M. Night Shyamalan depois do fracasso de público ecrítica de "A Dama na Água", em 2006. Mesmo assim, há quem aposte que esse novo thriller dodiretor de "A Vila" possa dar um susto no monstro verde. "Hámuito interesse nesse fim de semana, porque os dois filmes têmmuito a provar por diferentes razões", disse PaulDergarabedian, presidente da Media By Numbers, empresa quemonitora resultados das bilheterias. Para a Marvel, a aposta é importante para provar que oestúdio consegue usar seus personagens para manter o mesmosucesso que obteve com "Homem de Ferro." Estima-se que o filme tenha custado 150 milhões de dólares,mais 100 milhões em divulgação. Adam Fogelson, diretor demarketing da Universal, faz questão de frisar que o foco foi"diferenciar este filme do primeiro." "Sabia-se que haveria muita surpresa e muito questionamentosobre por que fazer a sequência de um filme que muita gente nãogostou", disse ele. Como na versão original de Ang Lee, o trabalho do diretorfrancês Louis Leterrier mistura um Hulk de animação com atoresreais. Parte do filme se passa na favela da Rocinha, no Rio. Edward Norton faz o papel do cientista Bruce Banner, quepor causa de um acidente com raios-gama vira o Hulk sempre quefica nervoso. Segundo os críticos, o novo filme é mais fiel ao personagemdos quadrinhos e da série de TV da década de 1970.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.