Felipe Rau/ Estadão
Felipe Rau/ Estadão

Setor audiovisual prepara reocupação segura das salas de cinema

O movimento #JuntosPeloCinema quer garantir que essa experiência única retorne com conforto e segurança para a vida do público

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2020 | 13h21

Todo dia, o público é bombardeado com informações sobre a flexibilização. O novo normal – Pode/não pode? Abre/Não abre? Uma das grandes preocupações é com a volta dos espetáculos. Teatro, cinema, concertos. O setor do audiovisual vem discutindo a nova realidade do setor desde que as salas fecharam, em março. Imediatamente formaram-se grupos remotos para debater a reabertura. Lá atrás, há mais de 100 dias, o olhar era um. Agora, é outro.



Nesses meses de confinamento, o público passou a usar cada vez mais as plataformas de streaming, os drive-ins voltaram com força. Com a reabertura, que terá um protocolo rígido, e restritivo – menos espectadores, distanciamento social, maximizaçãso da higiene, etc -, qual é o percentual do público que realmente voltará às salas? Criou-se a campanha #JuntosPeloCinema, que reúne distribuidores, exibidores, programadores, profissionais. Está lançando um site e um vídeo, com vistas à nova retomada. As ações concretas são mediadas pela Flix Media, empresa especializada na comercialização de espaços publicitários para cinema. A Flix opera com os grandes do mercado, as majors e as maiores redes exibidoras. Estamos falando de consumo massificado, a volta dos blockbusters.

Na campanha que está no ar a partir desta terça, 7, constam depoimentos como o de André Sala, diretor geral da Sony Brasil: “Cada ida ao cinema é um evento. A sala escura, a tela grande, o som fazendo estremecer a cadeira... No cinema, você não só assiste ao filme, você o vivencia. O movimento #JuntosPeloCinema quer garantir que essa experiência única retorne com conforto e segurança para a vida do público.” Cesar Silva, VP e diretor geral da Paramount Pictures Brasil: "Acreditamos na experiência do cinema e nos orgulhamos em fazer parte desta iniciativa de todo o mercado para uma retomada de atividades segura e responsável. O cinema faz parte da nossa vida, tem um papel importante na nossa cultura e assim como nós vai se adaptar aos novos tempos, cumprindo o seu papel de trazer informação, emoção e esperança para seus espectadores.”

E Hernán Viviano: “Na Warner Bros. Pictures, nós acreditamos no poder das histórias, e não há lugar melhor para contá-las do que nos cinemas. Estamos muito orgulhosos em participar do projeto #JuntosPeloCinema, para que a magia do cinema finalmente retorne e continue a encantar todos os brasileiros, como fazemos há quase 100 anos.” Todo esse esforço – todos esses apelos – é para motivar o público a retonar às salas. Jean-Thomas Bernardini, da Imovision e da Reserva Cultural, é um raro independente nessa festa de grandes. Tem preocupações específicas, até porque, no seu conjunto de salas, os blockbusters entram pontualmernte e o perfil é por um produto mais seletivo. De arte, autoral. Todos juntos, pelo retorno.

Por enquanto, a campanha é para devolver ao público o gosto por esse evento momentaneamente perdido. Tempo perdido, tempo reencontrado, o da ida ao cinema. Dentro de dez dias, o #JuntospeloCinerma lança uma nova etapa e anuncia o Festival De Volta Para o Cinema, idealizado pelo crítico, curador e apresentador Érico Borgo em parceria com distribuidores e exibidores. Os filmes que você vai ver na telona, em primeiro lugar. Diz Borgo: “O cinema sempre fez parte da minha vida e, no âmbito profissional, foi graças a essa paixão que consegui muito do que conquistei. Fazer parte desse movimento único na história e auxiliar no retorno do público a essa experiência sem igual é uma grande emoção.” Mais alguns dias e será conhecido o que o Festival De Volta Para o Cinema reservará ao público. A situação recomeça, mas é sabido que terá de ser com aterndimento a protocolos de segurança e normas que ainda estão sendo definidas com as autoridades municipais e estaduasis. Por enquanto, a data é 27 de julho. 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
cinemadrive-in

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.