Wilton Junior/Estadão
A atriz Fernanda Montenegro durante sessão de fotos cedida ao 'Estado' em seu apartamento na Lagoa, zona sul do Rio Wilton Junior/Estadão

Sete filmes com Fernanda Montenegro

Em homenagem aos noventa anos de idade da atriz, preparamos uma lista com alguns dos maiores sucessos de sua carreira; veja trechos

Maiara Barboza, Especial para o 'O Estado'

19 de setembro de 2019 | 19h13

Em seus quase noventa anos de idade - destes, ao menos setenta dedicados inteiramente a sua carreira como atriz -, Fernanda Montenegro já experimentou diferentes personagens dentro das mais variadas histórias. Conhecida atualmente como uma das atrizes brasileiras mais importantes do seu tempo, Fernanda já foi indicada ao Oscar em 1999 e também ganhou o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro com o Central do Brasil no mesmo ano.

Como homenagem, fizemos uma lista com alguns de seus filmes mais emblemáticos. Confira as sinopses e os trechos logo abaixo:

 

A Falecida (1965), Dir. Leon Hirszman

Em A Falecida, Fernanda Montenegro tem seu primeiro papel de destaque no cinema como Zulmira, uma jovem mulher obcecada com a própria morte e que deseja ter um enterro de primeira classe - ela, inclusive, até chega a comprar um caixão de luxo de antemão.


 
 

Tudo Bem (1978), Dir. Arnaldo Jabor

Na comédia, Fernanda Montenegro vive Elvira Barata, dona de casa que tenta sobreviver a uma reforma caótica em seu apartamento quando os pedreiros, o barulho e estranhos acontecimentos transformam um simples evento em algo infernal.

 

 
 

Eles não Usam Black-Tie (1981), Dir. Leon Hirszman

Após descobrir que sua esposa está grávida, Tião, filho de um líder sindical, fura uma importante greve, desconsiderando assim a tradição de ativismo político de seu pai. Aqui Fernanda é Romana, esposa do líder e mãe de Tião.

 

 
 

Central do Brasil (1998), Dir. Walter Salles

O filme narra a jornada emotiva de Dora (Fernanda Montenegro), uma ex-professora de escola que escreve cartas para analfabetos, e seu fatídico encontro com um menino cuja mãe acabou de morrer. Em 1999, o filme ganhou o Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro e também rendeu indicações para o Oscar de melhor filme estrangeiro e de melhor atriz para Fernanda.

 

 
 

O Auto da Compadecida (2000), Dir. Guel Arraes

Adaptação do livro homônimo de Ariano Suassuna, a história narra as desventuras de João Grilo e Chicó, dois rapazes pobres que levam a vida aplicando pequenos golpes nas pessoas da cidade. Aqui, Fernanda Montenegro vive uma piedosa Nossa Senhora, em um papel que apesar de breve, tornou-se marcante em sua carreira.

 

 
 

O Outro Lado da Rua (2004), Dir. Marcos Bernstein

No longa, Fernanda Montenegro é Regina, mulher aposentada que passa os dias bisbilhotando pela janela os moradores de seu bairro, até o dia em que presencia um ex-secretário da Justiça cometer um assassinato e se torna informante da polícia.

 

 
 

A Dama do Estácio (2012), Dir. Eduardo Ades

Em uma espécie de continuação de A Falecida, Fernanda Montenegro vive novamente no curta, uma personagem chamada Zulmira, com a diferença de que esta é uma velha prostituta. Mas assim como a Zulmira de quase 50 anos atrás, um dia ela acorda obcecada com a ideia da própria morte e decide então comprar um luxuoso caixão para o seu enterro.

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Fernanda Montenegrocinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.