ESPN Films
ESPN Films

Séries documentais serão inelegíveis em novas regras do Oscar

Serão afetadas produções exibidas na TV ou lançados em DVD antes de uma rodada de classificação em cinemas

Piya Sinha-Roy, Reuters

08 Abril 2017 | 11h44

Séries documentais de diversos episódios serão inelegíveis ao Oscar, disseram organizadores na sexta-feira, 7, como parte de uma nova lista de regras da premiação, poucos meses depois da série da ESPN O.J.: Made in America vencer o Oscar de melhor documentário em longa-metragem.

A mudança irá afetar quaisquer séries documentais de diversos episódios que tentariam se classificar ao Oscar do ano que vem, disse um porta-voz da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Documentários que são exibidos na TV ou lançados em DVD antes de uma rodada de classificação em cinemas serão inelegíveis.

O.J.: Made in America é um documentário de oito horas que foi exibido como um filme com intervalos em grandes festivais de cinema e alguns cinemas, logo, se classificando para competir no Oscar. Ele também foi exibido em cinco partes nas redes de TV ESPN e ABC.

O filme, uma pesquisa sobre o julgamento por homicídio em 1995 da estrela do futebol americano O.J. Simpson, venceu a categoria de melhor documentário em fevereiro, superando A 13ª Emenda, Eu Não Sou Seu Negro, Fogo no Mar e Vida, Animada.

A Academia regularmente atualiza suas regras sobre campanhas e elegibilidade ao Oscar.

Outras regras deste ano incluem a que membros da Academia não são mais permitidos de participar de almoços ou jantares para um filme que concorre ao Oscar que não tenha uma exibição do filme.

A Academia informou que as novas regras são parte do “esforço contínuo para chamar a atenção para a questão de campanhas excessivas e manter a atenção nos filmes em si”.

Os votos para melhor longa de animação também serão abertos a todos os membros da Academia, ao invés de um grupo montado. A animação Zootopia: Essa Cidade é o Bicho venceu a categoria neste ano.  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.