Série "Alien" volta em edição de luxo

Se você é fã da série Alien precisa esperar só mais cinco dias - na quarta, dia 28, chegam às locadoras e lojas especializadas os discos digitais contendo Alien, o Oitavo Passageiro, Aliens - O Resgate e Alien 3 - A Ressurreição. Os três filmes ganham lançamento de luxo da Fox Home Entertainment, que preparou menus especiais para cada um deles, com cenas adicionais, trailers, tudo o que você possa imaginar. O carro-chefe desse lançamento é o primeiro, dirigido por Ridley Scott, que ganha edição comemorativa de aniversário.Foi em 1979 que o monstro alienígena criado por Scott em parceria com o artista suíço H.R. Giger irrompeu nas telas, estimulando a velha paranóia americana. Vinte anos já! Ao contrário do ET bonzinho de Steven Spielberg, o de Scott veio mesmo para matar e, desde então, a palavra alienígena, ou a sua redução, alien, virou sinônimo de mal. Mas o que se aprende no primeiro filme é que o alienígena foi procurado no espaço pelos executivos de uma corporação da Terra, que pretendia usá-lo como modelo para criar a máquina de guerra perfeita. Quando o alien começa a matar um a um os tripulantes da nave, cabe à oficial Ripley, interpretada por Sigourney Weaver, dar uma de macho e arrebentar com o bicho.Não é uma nave qualquer. Chama-se, sugestivamente, Nostromo, como a obra-prima de Joseph Conrad. E Ripley, como senhora da Nostromo, só não pode ser chamada de Rambo de saias porque em nenhum momento da série - nem no filme de Scott, nem nos subseqüentes, de James Cameron e David Fincher - tirou o uniforme para acrescentar um elemento mais feminino ao seu macacão de combate. Esse elemento, digamos, feminista foi retomado por Scott em Thelma e Louise, um filme equivocado, que sugere que a mulher tem de refazer a trajetória do homem (não é por aí), mas absolutamente irresistível como narrativa cinematográfica.Sigourney, como Ripley, já foi chamada de Rambolina. Bate e arrebenta em Alien. O público gostou tanto que surgiu o segundo filme da série. Ripley participa de nova missão no espaço, envolve-se com uma garotinha, o que estimula seu sentimento materno, humanizando a personagem. Mas o que marca a fantasia futurista de Cameron, o futuro diretor de Titanic, é o plural do título. A heroína não enfrenta um alienígena, mas vários. O filme não nega fogo como espetáculo de ação.Alien 3 fez menos sucesso que os demais filmes da série, mas hoje precisa ser revisto à luz das experiências posteriores de Fincher, o diretor de Seven - Os Sete Crimes Capitais e Clube da Luta. Fincher é atraído por psicopatologias, gosta de iluminar áreas sombrias do comportamento humano. Seven é 10, Clube é mais discutível, mas Alien 3 adquire complexidade quando Ripley, depois de tanto combater o monstro, liga tanto sua vida à dele que empresta seu útero para que o alienígena possa se reproduzir. Em definitivo, é uma das séries mais interessantes do cinema.Alien, o Oitavo Passageiro (Alien). EUA, 1979. Direção de Ridley Scott. Aliens - O Resgate (Aliens) - EUA, 1986. Direção de James Cameron. Alien 3 - A Ressurreição (Alien Ressurrection) - EUA, 1997. Direção de David Fincher. Todos com Sigourney Weaver. Fox.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.