Arthur Mola/Invision/AP
Arthur Mola/Invision/AP

Segunda atriz avança e acusa Dustin Hoffman de assédio

"Ele deixou impressões digitais sujas na minha alma", disse Kathryn Rossetter

AP

08 Dezembro 2017 | 19h54

Uma segunda atriz veio a público acusar o ator Dustin Hoffman de assédio sexual, chamando a conduta do vencedor do Oscar de "experiência horrível, desmoralizadora e abusiva", afirmou Kathryn Rossetter.

A atriz que co-estrelou com o ator em A Morte de Um Caixeiro-Viajante em 1984 disse que Hoffman costumava procurá-la a noite e pedir massagem nos pés. Um dia, puxou-a e fez com que ela expusesse seus seios na frente da equipe dos bastidores. Ela disse que chorava todas as noites.

Rossetter contou ao The Hollywood Reporter na sexta-feira, um mês depois que a atriz Anna Graham Hunter alegou que Hoffman fez comentários inapropriados quando ela era uma estagiária de 17 anos no set do filme A Morte de Um Caixeiro-Viajante. Rossetter retomou o papel de Hunter e filmou sua parte em três dias. Ela disse que não tinha conhecimento de como Hoffman tratava as mulheres no set.

Os representantes do ator não responderam, mas Hoffman já negou abusar de Hunter, dizendo que as alegações "não refletem quem eu sou".

Rossetter, que passou a desempenhar papéis em Velocidade Máxima 2 e Law & Order, escreveu que Hoffman "deixou impressões digitais sujas na minha alma." 

As alegações de Hunter contra o ator recentemente fizeram o comediante John Oliver, do Last Week Tonight,  questionar publicamente Hoffman durante uma seleção de aniversário de seu filme Mera Coincidência. Durante uma mesa redonda, Hoffman respondeu que o assédio "não refletia quem era ele."

Mais conteúdo sobre:
Dustin Hoffman

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.