Secretaria anuncia longas paulistas que terão patrocínio

A Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo anunciou hoje os projetos de longas-metragens paulistas que foram selecionados para participar do Programa Extraordinário de Fomento ao Cinema Paulista/2004, que tem o apoio do Ministério da Cultura. Foram escolhidos 20 projetos e seis suplentes nos itens produção, finalização e apoio à comercialização e documentários.Na categoria produção, os projetos serão contemplados com valor máximo de R$ 500 mil. Foram selecionados para receber o fomento Ampla Visão de São Paulo (Eugênio Puppo), Andar às Vozes (Eliane Caffé), Antônia (Tata Amaral), Atos dos Homens (Kiko Goifman), De Corpo e Alma (André Klotzel), É Proibido Fumar (Anna Muylaert), Garoto Cósmico (Alê Abreu), Fim da Linha (Gustavo Steinberg), Fora do Figurino (Paulo Pélico), Os Doze Trabalhos de Héracles (Ricardo Elias), Quero (Carlos Cortez), União Fraterna (Laís Bodanzky), Via Láctea (Lina Chamie). Como suplentes, foram escolhidos, em ordem de preferência, Os Desvalidos (Francisco Ramalho Júnior), Xique no Último (Alain Fresnot), Lucineide Falsa Loura (Carlos Reichenbach).No tópico finalização, o valor máximo do fomento será de R$ 200 mil, e os projetos escolhidos foram A Ilha do Terrível Rapaterra (Ariane Porto), Crime Delicado (Beto Brant) e Tapete Vermelho (Luiz Alberto Pereira). Os suplentes são Veias & Vinhos (João Batista de Andrade), Eliana e o Segredo dos Golfinhos (Eliana Fonseca) e O Mundo em Duas Voltas (Davis Schurmann). No item comercialização, a comissão selecionou: Cabra-Cega (Toni Venturi), Família Alcântara (Daniel S. Santiago & Lílian S. Santiago), O Dono do Mar (Odorico Mendes) e Quanto Vale ou é por Quilo? (Sérgio Bianchi). Nesta categoria, o valor máximo do fomento será de R$ 150 mil.Ao todo, serão investidos R$ 5,8 milhões, valor resultado da captação de patrocínio pela de incentivo fiscal da Lei do Audiovisual junto às estatais Sabesp e Nossa Caixa - que totalizam R$ 4,2 milhões -, do banco Santander/Banespa e de dois novos parceiros da iniciativa privada, as empresas Ecovias e Credicard.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.