Sean Connery se despede interpretando o pai de James Bond

O ator britânico Sean Connery quer interpretar o pai de James Bond no próximo filme do agente para, em seguida, se aposentar definitivamente das telas de cinema, informou a imprensa local. Connery, de 76 anos, e que não atua em um filme desde A Liga dos Cavaleiros Extraordinários de 2003, comentou que gostaria de fechar a sua carreira cinematográfica interpretando o pai de Bond, mas só se os produtores da série oferecessem um alto cachê. "Agora estou tirando férias de atuar. Pode-se até dizer que estou aposentado. A única maneira de voltar ao cinema e me despedir para sempre seria com um papel importante, uma oferta que não poderia recusar", disse o ex-James Bond. "Se tivesse um bom papel para mim em algum filme do Bond, claro que eu aceitaria". Esclareceu também que nunca mais voltaria como o agente 007. "Se o papel estivesse bem escrito, poderia voltar como o pai de James Bond, mas custaria muito aos produtores. Definitivamente, eles teriam que desembolsar muito dinheiro", revelou Connery. O ator admitiu que deixou de protagonizar a saga devido ao uso crescente de equipamentos tecnológicos nos sets de filmagens e ao "salário decepcionante". "Eu me decepcionei cada vez mais com as engenhocas de ficção científica , como o sapato envenenado de Moscou Contra 007", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.