Schwarzenegger lidera bilheteria nos EUA

Arnold Schwarzenegger, agora no papel de um bombeiro que decide combater terroristas, demonstrou que continua sendo muito popular. O ator é protagonista de Efeito Colateral, que também estreou nas telas brasileiras na sexta-feira. A produção obteve a maior bilheteria nos EUA no fim de semana, atingindo a cifra de US$ 15,2 milhões.O filme demorou quatro meses para estrear nos cinemas norte-americanos, por conta do atentado ao Wold Trade Center no dia 11 de setembro.O clima de nacionalismo exacerbado que domina os EUA fez o ator austríaco recuperar agora a fama e a popularidade que havia começado a perder com seus filmes anteriores Fim dos Dias (1999) e O 6.º Dia (2000). Dirigido por Andrew Davis, Efeito Colateral traz Schwarzenegger no papel de Gordy Brewer, um homem cuja profissão de bombeiro é considerada agora um paradigma de heroísmo e de espirito de sacrifício em todo o país. Escrita por Ronald Rose, a história foi rodada no México e conta como Brewer perde sua família em uma ação de "O Lobo", um terrorista e líder guerrilheiro colombiano. A nacionalidade do terrorista suscitou meses atrás vários protestos por parte da populosa comunidade latino-americana. Brewer, profundamente afetado pela tragédia, acompanha durante várias semanas os esforços inúteis das autoridades em prender o terrorista e decide agir sozinho. "Desde que ouvi pela primeira vez o projeto do filme, fiquei interessado em participar dele", disseSchwarzenegger. "Esse desejo inicial tornou-se maior quando soube que Andy (Andrew Davis) havia aceitado dirigir Efeito Colateral. Nós já havíamos pensado em trabalhar juntos há vários anos e este filme foi o melhor meio para concretizar este plano", acrescentou. Sobre seu papel como bombeiro, lembrou o atentado ao World Trade Center e disse: "Sempre pensei que em cada bombeiro havia um herói desconhecido. No 11 de setembro, muita gente se deu conta da importância destes valentes personagens para a sociedade. Creio que filmamos Efeito Colateral no momento adequado, disse o ator de O Exterminador do Futuro, nos filmes de James Cameron.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.