Sarkozy critica Justiça americana pelo caso Polanski

Presidente francês afirma que não concorda com 'Justiça se pronunciar quando o réu está com 76 anos'

Efe,

15 de outubro de 2009 | 21h58

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, criticou à Justiça dos Estados Unidos por querer julgar o diretor de cinema Roman Polanski, passados 32 anos de quando ocorreram os fatos do qual ele é acusado.

 

"Compreendo que surpreenda a gravidade das acusações contra Roman Polanski. Mas não concordo com o fato da Justiça se pronunciar depois de 32 anos, quando o réu está com 76 anos", afirmou o presidente em entrevista nesta quinta-feira. 15, à versão online do jornal Le Figaro.

 

Sarkozy fez as declarações enquanto defendia seu ministro de Cultura, Frédéric Mitterrand, acusado de pedofilia por ter confessado em um livro que fez turismo sexual.

 

"Frédéric Mitterrand não fez nenhuma apologia ao turismo sexual e condenou com palavras fortes. Não é certo misturar confissão com proselitismo", assegurou.

Tudo o que sabemos sobre:
SarkozyPolanski

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.