Sandra autografa "Amores Possíveis" em São Paulo

Sandra Werneck autografa quarta-feira à noite, na Fnac, o livro com o roteiro de Amores Possíveis, um trabalho de Paulo Halm e dela. Além da íntegra do texto, o livro traz um caderno de fotos e depoimentos da equipe. É interessante saber o que Murilo Benício, Carolina Ferraz e os demais atores pensam não só dos personagens que interpretam, mas do trabalho com Sandra. Ela não faz uma noite de autógrafos tradicional, como fez no Rio, na semana passada, onde a primeira de Amores Possíveis se esgotou rapidamente. No Rio, Sandra teve a presença do elenco para prestigiar a festa do livro. Em São Paulo, espera contar com a presença de Paulo Halm, o Pepê, mas na terça à tarde ainda não conseguia garantir que ele viesse. O importante é o formato que a Editora Objetiva e a Fnac estão dando ao evento. Sandra vai participar de um bate-papo com o público.Ela está entusiasmada. "Adoro esse contato com o público", diz. É sua segunda parceria com a Objetiva, que já editou o roteiro de Pequeno Dicionário Amoroso, seu filme anterior. O Dicionário esgotou quatro edições e ficou algumas semanas na lista dos best sellers no País. Sandra vê nisso um novo momento na relação do cinema brasileiro com o público. "Não só os meus filmes, mas Central do Brasil do Waltinho Salles, e A Partilha, de Daniel Filho, baseado na peça de Miguel Falabella, também saíram ou vão sair em livro; isso é comum lá fora, mas é uma prática que ainda não foi estabelecida no Brasil." Ela acha "superinteressante". Diz que é bom para estudantes de comunicação, para pessoas que sonham escrever roteiros e não precisam só de um método prático, como certos livros de ajuda, no setor, publicados no Brasil. É importante ler um roteiro, comparar com o filme pronto. E isso, que foi possível fazer com Pequeno Dicionário Amoroso graças à Objetiva, será possível repetir com Amores Possíveis.O filme já ultrapassou a marca dos 300 mil espectadores. Sandra não sabe se chegará aos cinco Maracanãs que gostaria de lotar - seis, conforme chegou a dizer na estréia. Acha que é um filme mais difícil que Pequeno Dicionário Amoroso. É leve e divertido, mas das três histórias uma não é só dramática como mexe com assuntos que ainda são tabu, como o relacionamento de um par gay. Sandra credita a isso, ao estranhamento que essa história produz, um pouco da reserva com que o filme foi recebido por algumas pessoas, críticos inclusive.Não se queixa. Quase todo mundo elogiou seu trabalho de direção e Walter Salles chegou a escrever-lhe um bilhete, elogiando a mise-en-scène de Amores... e definindo o filme como "inteligente". Sandra é do tipo que pensa que todas as histórias já foram contadas. O desafio é arranjar um jeito de recontá-las. Em Amores Possíveis narra três histórias que são versões possíveis da mesma história. Elogia o trabalho com Pepê. Embora o roteiro tenha tido colaborações de Domingos de Oliveira (no desenvolvimento da relação homem-mulher) e de Cláudio Paiva (no que se refere ao humor), ela sabe que o forte do livro é a contribuição/participação de Paulo Halm. "Trabalho muito bem com o Pepê; ele me deixa à vontade para dirigir o roteiro e isso é fundamental para mim." Sandra é uma autora. Comanda todas as etapas da realização do filme, dos preparativos ao lançamento. Conversou muito com Pepê, deu-lhe idéias e ele produziu o primeiro roteiro, definindo a estrutura do filme. A partir daí, trabalharam no aprimoramento e com as contribuições já destacadas. Sandra já trabalha no próximo roteiro, Janelas Abertas. Não quer desenvolver só um projeto, mas três. Um filme popular, um artístico e outro político. Janelas... será o segmento arte desse trio. Amores Possíveis - De Paulo Halm. Editora Objetiva. 156 páginas. R$ 19,90. 5.ª, às 19 horas. Fnac (Avenida Pedroso de Morais, 858); tel. 3097-0022

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.