San Sebastián traz Carmem Maura de volta

A relação da atriz espanhola Carmen Maura com o diretor basco Alex de la Iglesia tem sido de atração mútua. Ela "tem muita garra" e ele, sem ela, sequer teria escrito La Comunidad, o filme que hoje inaugura o Festival de Cinema de San Sebastián (Espanha).Carmen Maura, uma das atrizes mais reconhecidas dentro e fora das fronteiras espanholas, volta a demonstrar que é excepcional naquilo que faz neste longa-metragem, que compete pelo prêmio máximo do festival: a Concha de Ouro.Nascida em Madrid, em 1954, Maura deixou apra trás uma vida acomodada, terminou seu casamento, e se pôs diante de uma câmera aos 25 anos. Depois de uma conversa com o crítico de teatro Alfredo Marquerie, decidiu que queria ser atriz, dando um giro radical na sua vida.Ainda que seu primeiro papel importante tenha sido somente em Tigres de Papel (de Fernando Colomo), a filha do político Antonio Maura conquistou sua fama principalmente junto a Pedro Almodóvar.A protagonista de Pepi, Luci, Bom y Otras Chicas Del Montón, e Mulheres a Beira de um Ataque de Nervos, entre outros, também declarou ter sido essencial o trabalho com Iglesia. Ela também já trabalhou com Carlos Saura em Ai! Carmela, no começo dos anos 90, e mais recentemente, atuou pela primeira vez fora da Espanha, na produção francesa Alice e Martin, de André Techiné. A partir daí, uma reviravolta sentimental fez com que passasse a aceitar vários projetos em países diferentes. Assim, fez Elas, do português Galvão Telles, bem como trabalhou com a mexicana Marisa Sistach em El cometa, além do chileno Ricardo Larraín em El entusiasmo.Mais madura e consciente de que pode dotar suas personagens da verossimilhança tão conotada em seu trabalho com Almodóvar, Carmen interpreta em La Comunidad uma mulher que não quer deixar escapar a oportunidade que tem diante de si, ainda que isso signifique que tenha que usar o pior que possui dentro de si mesma.Para Alex de la Iglesia, Carmen Maura combina como ninguém a veia cômica com o dramático. "Se tenho essa capacidade, é porque desde o princípio fiz todo tipo de papel", disse, orgulhosa de sua primeira personagem como heroína de ação, em La Comunidad.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.