Sai 1.º volume da Coleção Cinemateca Sylvio Back

Sylvio Back até hoje se lembra da saudação de Glauber Rocha, sempre que se encontrava com o exuberante cineasta baiano. Glauber gritava - ´Salve o cacique do Sul´. Nascido em Santa Catarina, Back iniciou sua carreira no Paraná, com o curta As Moradas, em 1964. Em 1968, já estava no longa, assinando Lance Maior. Filmar fora do eixo Rio-São Paulo fez dele um estrangeiro no cinema brasileiro, ainda mais que Back fez filmes discutindo suas origens alemãs e também episódios controversos do ponto de vista da historiografia oficial - a ficção Aleluia, Gretchen, sobre o integralismo na região Sul; e o documentário Guerra do Brasil, sobre a Guerra do Paraguai.Para um diretor que filmou no Paraguai e na Argentina, é no mínimo curioso que Sylvio Back tenha sido esquecido no recente Festival do Cinema Latino-Americano, o que, evidentemente, não tira o mérito excepcional do evento, mas teve gente ali cuja contribuição para a discussão do que seja a latinidade foi certamente menor. Enfim, o diretor ganhou a homenagem de um lançamento especial, com três discos, da Versátil, em parceria com a TV Cultura. O primeiro volume da Coleção Cinemateca Sylvio Back traz seis filmes.O primeiro disco traz Aleluia, Gretchen e Rádio Auriverde, sobre a campanha da Força Expedicionária Brasileira na Itália, durante a 2.ª Grande Guerra; no segundo, estão reunidos Guerra dos Pelados, sobre episódio ocorrido em Santa Catarina, e o citado Guerra do Brasil; no terceiro, Cruz e Souza, sobre o poeta simbolista, e Yndio do Brasil, sobre a maneira como o cinema brasileiro vê o primitivo habitante do País. Na ficção e no documentário, Sylvio Back é sempre um provocador. Seu cinema exige revisão. Coleção Cinemateca Sylvio Back. DVD triplo da Versátil, com 6 filmes. Nas lojas, preço sugerido R$ 104,90

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.