Divulgação
Divulgação

Saga 'Star Wars' ganha caixa especial com nove discos

Cores realçadas dão nova perspectiva à saga; mudanças causam polêmicas entre fãs

Pedro Antunes, Jornal da Tarde

14 de setembro de 2011 | 10h27

O cineasta americano George Lucas tem, como poucos, a capacidade de transitar entre dois conceitos tão extremos: o de gênio e o de louco. Mesmo quem não gosta de ficção científica, cinema ou cultura nerd não fica indiferente a figuras como o vilão Darth Vader e o baixinho verde Mestre Yoda. Suas criações, que povoam as duas trilogias de Star Wars, são ícones da cultura pop desde o lançamento do primeiro longa, o Episódio IV: Uma Nova Esperança, de 1977.

E é louco justamente por isso também. Arrebanhou uma legião de fanáticos pela saga, daqueles fervorosos, que decoram diálogos, vestem fantasias e vão a convenções. Estes, por sua vez, são seus mais ferrenhos críticos a cada vacilo. Lucas parece gostar de atiçá-los, para o bem e para o mal. Nesta sexta-feira, chega às lojas de todo o mundo - inclusive no Brasil - a maior compilação de material da saga já lançada, com o Star Wars: A Saga Completa, uma caixa com nove discos em Blu-Ray.

A reportagem conferiu, com exclusividade, 20 minutos de cenas dos filmes, com imagens remasterizadas e som 6.1. Obviamente, nos filmes mais antigos, é difícil um ganho na imagem, mas as cores realçadas e a capacidade gráfica do Blu-Ray dão uma nova perspectiva aos planetas e às batalhas com os famosos sabres de luz.

Com o lançamento, pipocam polêmicas. Acontece que George Lucas, com a Lucasfilm, possui todos os direitos autorais sobre sua criação e, graças a isso, faz o que bem entende. Nestas novas versões, na batalha final entre o mocinho Luke Skywalker e o vilão Imperador Palpatine, no fim do último filme da primeira trilogia, o cineasta incluiu um grito de "Nooooo" ("Nãooooo", em bom português), de Darth Vader no momento de seu arrependimento, ao matar seu antigo mestre e salvar o filho, Luke. Desde que a cena vazou, no fim de agosto, chocou os fãs mais ortodoxos, porque, originalmente, era silenciosa.

Há outra polêmica entre os fãs numa cena de Uma Nova Esperança, em que o pirata espacial amoral Han Solo discute com um alien num bar. Na primeira versão, de 1977, Han atira primeiro. Na segunda, 20 anos depois, Lucas faz com que o ET tome a dianteira. Desta vez, a ação é quase simultânea. Isso faz toda a diferença para os mais fanáticos.

Esta é a maior reunião oficial de extras já feita da série: são 40 horas de documentários, cenas deletadas, entrevistas e tours pelos sets de filmagem. Dos nove discos, seis são destinados a cada um dos capítulos da saga completa. Já os outros três proporcionam o maior deleite para os fãs. Os discos sete e oito trazem, respectivamente, arquivos bem completos das duas trilogias, com detalhes sobre cada personagem, monstro, planeta e espaçonave. O último traz oito documentários sobre a série.

A esses fãs, a Fox, distribuidora dos filmes, promove encontros e concursos na sexta (Fnac Paulista, às 19h), sábado (Livraria Saraiva do Shopping Market Place, às 18h30) e domingo (Livraria Saraiva dos shoppings Morumbi, às 14h, e Eldorado, às 18h). Agrados e heresias são coisas de gênio e louco. Mas Lucas é mais do que isso: consegue dar um jeito de ter a Força sempre com ele.

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaStar WarsDVDGeorge Lucas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.