SAG Awards acusa Oscar de intimidar artistas para garantir exclusividade

SAG Awards acusa Oscar de intimidar artistas para garantir exclusividade

Sindicato que representa 120 mil atores nos Estados Unidos divulgou ontem um comunicado com sua indignação sobre o assunto: "Atores deveriam ser livres para aceitar qualquer oferta de participar nas celebrações da indústria"

O Estado de S.Paulo, O Estado de S.Paulo

14 Janeiro 2019 | 21h29

Executivos do prêmio do importante sindicato dos atores dos EUA, conhecido como SAG Awards, fizeram nesta segunda uma acusação contra a diretoria do Oscar. Segundo eles, o evento faz uma “pressão extraordinária e injustificada” para impedir atores e atrizes de apresentarem categorias durante sua cerimônia, que ocorre dia 27 de janeiro. Segundo eles, os responsáveis pelo Oscar, que será em 24 de fevereiro, jogam baixo para que a premiação será o mais exclusiva possível. SAG representa mais de 120 mil atores nos EUA.

Um comunicado da instituição diz o seguinte: “Nós recebemos múltiplos relatos dessas atividades e experienciamos em primeira mão as táticas de pressão da Academia para controlar os talentos no show da premiação. A temporada de prêmios é uma época muito especial, quando atores e atrizes estão sendo celebrados apropriadamente e sendo reconhecidos pela qualidade excepcional de seu trabalho. Nós esperávamos que a Academia honrasse esses objetivos.”

O comunicado segue em frente: "Atores deveriam ser livres para aceitar qualquer oferta de participar nas celebrações da indústria. A tentativa aparente da Academia de impedir nossos membros de apresentarem em sua própria cerimônia de premiação é extremamente ultrajante e inaceitável. O SAG Awards apóia as operações do sindicato e importantes programas de assistência beneficentes que oferecem suporte valioso aos artistas

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.