Saem os indicados ao "Oscar" nacional

Uma comissão de personalidades ligadas ao cinema nacional escolheu na sexta-feira à tarde, em São Paulo, na sede da Cinemateca Brasileira, na Vila Mariana, os indicados ao Grande Prêmio Cinema Brasil - espécie de "Oscar" oficial brasileiro.O prêmio mais destacado, o de melhor filme, será disputado entre Eu, Tu, Eles, de Andrucha Waddington; O Auto da Compadecida, de Guel Arraes; Santo Forte, de Eduardo Coutinho; Castelo Rá-Tim-Bum, de Cao Hamburger; e Cronicamente Inviável, de Sérgio Bianchi.É a segunda vez que o prêmio é entregue. Eu, Tu, Eles é o grande favorito, concorrendo em nove das 11 categorias. É também o candidato brasileiro ao Oscar de filme estrangeiro da academia americana de cinema.No início deste ano, deu Orfeu, de Cacá Diegues, como melhor filme. Walter Salles e Daniela Thomas levaram o prêmio de melhor direção de por O Primeiro Dia. Matheus Nachtergaele ganhou como ator (por O Primeiro Dia e pela minissérie O Auto da Compadecida) e Denise Fraga como atriz (pela atuação em Por Trás do Pano).Dinheiro - A primeira edição do prêmio foi realizada no Hotel Quitandinha, em Petrópolis, sob pesada chuva de críticas. Estavam no auge os escândalos da malversação do dinheiro da Lei do Audiovisual pelos cineastas Guilherme Fontes e Norma Bengell. O Ministério da Cultura gastou cerca de R$ 700 mil na festa, o que também foi criticado.Naquela ocasião, um dos premiados (pelo melhor lançamento e melhor montagem, o filme Nós que Aqui Estamos, por Vós Esperamos), Marcelo Masagão, disse: "Precisamos nos preocupar menos com dinheiro e mais com a qualidade do cinema". Mas o dinheiro continua sendo uma preocupação fundamental do cinema brasileiro, que viu os patrocinadores correrem das telas por conta dos escândalos nas produções.A Assessoria de Comunicação da Secretaria do Audiovisual informou que o secretário, José Álvaro Moisés, encontra-se fora do País e não poderia informar o valor destinado à premiação este ano.A comissão de pré-seleção desta nova edição do Grande Prêmio Cinema Brasil foi presidida pelo Secretário do Audiovisual, José Álvaro Moisés, e composta por 17 personalidades ligadas ao setor audiovisual: Adhemar de Oliveira Anibal Massaini Neto, Cacá Diegues, Carla Camurati, Clélia Bessa, Daniel Dantas, Gabriel Prioli Neto, Hector Babenco, Hermano Penna, Lúcia Nagib, Luís Severiano Ribeiro, Marco Aurélio Marcondes, Miguel João Jorge Filho, Paulo Sérgio Almeida Rubens Ewald Filho, Solange Farkas e Carlos Ebert.Os indicados serão agora submetidos ao colégio eleitoral para a definição dos vencedores. Este colégio, constituído por cerca de 400 pessoas (entre artistas, cineastas, escritores, produtores, jornalistas e parlamentares) terá prazo até dezembro para escolher o melhor filme nacional deste ano. A solenidade de entrega dos troféus do Grande Prêmio Cinema Brasil está marcada para o dia 10 de fevereiro de 2001.Segundo a Secretaria do Audiovisual, 21 obras nacionais lançadas no circuito comercial entre 1.º de novembro de 1999 e 31 de outubro de 2000 puderam concorrer. Entre elas, estavam Xuxa Requebra, de Tizuka Yamazaki; O Trapalhão e a Luz Azul, de Renato Aragão; Iremos a Beirute, de Marcus Moura; Gêmeas, de Andrucha Waddington; Hans Staden, de Luiz Alberto Gal Pereira; Um Certo Dorival Caymmi, de Aluzio Didier; Cruz e Souza - O Poeta do Desterro, de Sylvio Back; Olé - Um Movie Cabra da Peste, de Roberto Standucc Filho; O Dia da Caça, de Alberto Graça, e A Terceira Morte de Joaquim Bolívar, de Flávio Cândido.

Agencia Estado,

31 de outubro de 2000 | 16h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.