Saem hoje os filmes premiados da Mostra

Embora a Mostra BR de Cinema - 27.ª Mostra Internacional de Cinema só termine na noite desta quinta-feira, com a entrega dos prêmios Bandeira Paulista aos vencedores - e a posterior exibição de Dogville, de Lars Von Trier -, Leon Cakoff e Renata de Almeida já pensam na edição do ano que vem. Você pode anotar: o cartaz da 28.ª mostra será feito por Tsai Ming-liang, o diretor de Taiwan que veio exibir seu novo filme, Adeus, Dragon Inn"Deu tudo certo", Cakoff respirava aliviado no fim da reunião para discutir o prêmio da crítica, ontem de manhã. Ele pediu, pelo amor de Deus, para que se mantenha o embargo sobre esses prêmios, atribuídos por jornalistas, até a noite de hoje. Há que cumprir o compromisso, embora se possa antecipar que os prêmios, destacando bons filmes, claro, não chegam a ser ousados. Mas a curiosidade maior é pelos prêmios dos jurados. Eles formam um corpo de seis integrantes - do Brasil, do Japão, da Itália, dos EUA, de Taiwan e da Alemanha - , compondo um painel de pluralidade e diversidade que vem ao encontro do que Cakoff e Renata de Almeida defendem no evento que produzem. Anselmo Duarte, Kiju Yoshida, Giovanni Spagnoletti, Jim McBride, Peggy Chiao e Ulrich Elsberg ficaram encarregados de escolher, entre os 15 títulos pré-selecionados pelo público, os vencedores da mostra deste ano. A Mostra BR de Cinema é competitiva, mas só para novos diretores, que estejam, no máximo, no terceiro filme. O público faz sua escolha e, sobre ela, trabalham os jurados. Foram selecionadas 12 ficções de longa-metragem, incluindo duas brasileiras - Narradores de Javé, de Eliane Caffé, e De Passagem, de Ricardo Elias. Os demais dez filmes que compõem a categoria são: A Colheita das Olivas, de Hanna Elias; A Jornada de James para Jerusalém, de Ra´anan Alexandrowicz; Anti-Herói Americano, de Shari Springer Berman e Robert Pulcini; Eddie, de Piotr Trzaskalski; Encantadora de Baleias, de Niki Caro; Histórias de Cozinha, de Bent Hamer; O Jovem Adam, de David Mackenzie; O Povo do Churrasco, de David Otek; Viajantes e Mágicos, de Khyentse Norubu; e Vodka Lemon, de Hiner Saleem. Na categoria documentários foram pré-selecionados três filmes pelo público. Dois são brasileiros: Fala Tu, de Guilherme Coelho, e 33, de Kiko Goifman. O terceiro é La Pasión de Maria Elena, de Mercedes Moncada. O suspense termina hoje à noite, com a premiação. Cakoff faz uma derradeira avaliação: "Acho que qualquer tentativa de avaliar esteticamente uma programação tão extensa como essa tem de basear-se numa coisa que não foi intencional, mas terminou se desenhando na seleção e até no cartaz que o Atom Egoyan (o diretor canadense revelado no Brasil pela mostra) criou para a gente. Identidade e fragmentação são os temas que melhor definem o momento que vivemos atualmente."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.