Russell Crowe e Nicolas Cage, astros de ´bombas´ do ano

Eles já ganharam o Oscar, mas participaram das maiores bombas do cinema em 2006, segundo uma análise publicada pela Variety. Russell Crowe, Nicolas Cage e Sean Penn mostraram, assim, que astros de primeira linha não são garantia de sucesso. Crowe atuou na comédia romântica Um Bom Ano, Cage no remake de filme de terror O Sacrifício e Penn em uma outra refilmagem, a saga política A Grande Ilusão. Diretores celebrados como M. Night Shyamalan (A Dama da Água) e Wolfgang Petersen (Poseidon) também literalmente naufragaram. Também fizeram parte da lista de maiores fiascos do ano a continuação Instinto Selvagem 2, a saga da aviação da 1.ª Guerra Mundial Flyboys, a animação Por Água Abaixo, o romance transcendental Fonte da Vida e o thriller A Cor de um Crime. A Variety diz que sua lista, publicada em ordem alfabética, foi elaborada principalmente pela proporção entre o custo do filme e sua renda de bilheteria. A revista lembrou que o prejuízo pode ser dividido entre vários estúdios e investidores, e que a bilheteria dos mesmos filmes no resto do mundo e as vendas em DVD podem reduzir um pouco as perdas. Com base nos números da reportagem, o filme que rendeu menos foi Instinto Selvagem 2, um longa de 70 milhões de dólares que arrecadou apenas 5 milhões de dólares nos cinemas norte-americanos, dando continuidade à série de bombas estreladas por Sharon Stone, que já dura 11 anos. Mas Por Água Abaixo e Poseidon registraram prejuízos totais de 90 milhões de dólares e 100 milhões de dólares respectivamente, tomando por base a arrecadação nos EUA. A Warner Bros. Pictures, que pertence à Time Warner Inc., distribuiu quatro dos dez filmes nos Estados Unidos: Fonte da Vida, A Dama da Água, Poseidon e O Sacrifício. A Columbia Pictures, que liderou o mercado do ano com 13 filmes ocupando o número 1 das bilheterias em 2006, foi quem lançou A Grande Ilusão e A Cor de um Crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.