Roteiro inédito de Kieslowski abre Festival de Berlim

Com expectativa de público girando emtorno de 350 mil pessoas, incluindo 3,5 mil jornalistas de 70países, o Festival de Berlim começa nesta quarta-feira, coma exibição de Heaven, na competição oficial, direção de TomTykwer para um roteiro inédito de Krzysztof Kieslowski, emparceria com Krzysztof Piesiewicz. A noite de abertura promete: um fracasso total ou, quemsabe, novos rumos para a linguagem da chamada sétima arte. Tom Tykwer, para quem não se lembra, é o realizador docultuado Corra, Lola, Corra, interessante experimentaçãoaudiovisual que conta uma mesma história com três possibilidadesde narrativa, não tardando a naufragar na redundância. Mas ofilme tem qualidades, como o frescor de sua linguagem erapidíssimas histórias paralelas que são contadas na tela commeteóricas montagens de imagens congeladas. Já Kieslowski, para quem não sabe, é uma espécie deNobel do cinema, um dos maiores celeiros de humanismo de toda adramaturgia contemporânea. O diretor polonês morreu em 1996, aos55 anos, e deixou uma obra que é um verdadeiro legado sobre acondição humana. Basta lembrar esse tesouro dramatúrgico que é oseu Decálogo, série de dez filmes inspirados nos 10mandamentos. Kieslowski é também autor da trilogia homenageandoas cores da bandeira francesa: A Liberdade É Azul, AIgualdade É Branca e A Fraternidade É Vermelha. O roteirode Heaven seria a primeira parte de uma nova trilogia, daqual ainda fariam parte Purgatory e Hell. Estilos - A pergunta que não quer calar é a seguinte:como conciliar o estilo denso e profundo de Kieslowski com asgracinhas clípicas de Tom Tykwer? O cineasta polonês foi umartista que nos permitia freqüentar com muita calma aexuberância de suas imagens, irradiando a profusão de matizes ea complexidade da alma humana. E Tom Tykwer, com a sua urgênciaaudiovisual, parece querer fazer cócegas nos olhos dosespectadores. Heaven pode ser uma nova obra-prima do cinema,combinando dois estilos tão antagônicos. Ou talvez não passe demais um Frankenstein produzido pela fábrica de pesadeloshollywoodiana. Estrelado por Cate Blanchett, o filme é, segundoos organizadores do festival, um drama que mistura elementos dothriller com uma história de amor. Heaven acompanha ospassos de uma professora de inglês que mora em Turim, na Itália,casada com um homem viciado em drogas. Ele morre de overdose eela acaba perseguindo o traficante que vendeu a última remessaao marido. O festival vai até o dia 17, quando serão anunciados osvencedores. A presidente do júri é a cineasta indiana Mira Nair(Kama Sutra) e traz ainda a presença da atriz italianaNicoletta Braschi, mulher de Roberto Benigni. São ao todo 12dias de uma maratona cinematográfica dividida em cinco mostras:competição, panorama (incluindo filmes brasileiros), Forum,Kinderfilm (com temática voltada para o público infanto-juvenil)e Perspektive Deutsches Kino (apenas com títulos alemães). Nacompetição, 23 longas e 9 hors-concours, além de 10 curtas.Na mostra Panorama, mais 20 longas e 20 curtas. No mercado defilmes, a exibição de mais 300 títulos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.