Paris Filmes
Paris Filmes

Robert Pattinson interpreta criminoso que tenta libertar o irmão em 'Bom Comportamento'

Bom Comportamento não é um estudo de personagem. É um filme sobre um lugar – que talvez só exista no imaginário

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

21 Outubro 2017 | 15h32

Por mais admiradores que tenha Joaquin Phoenix, havia gente revoltada porque ele e não Robert Pattinson foi melhor ator no Festival de Cannes, em maio. Phoenix ganhou por You Were Never Really Here, a expectativa era de que Pattinson, o astro da saga Crepúsculo, levasse por Bom Comportamento, de Ben e Josh Safdie. Em plena Mostra, com suas quase 400 ofertas de filmes atraentes, o cinéfilo de carteirinha não vai se decepcionar com o longa dos irmãos nova-iorquinos.

Good Time oferece um daqueles títulos enganosos, na medida em que nada pior poderia ocorrer a Pattinson. Seu personagem, na verdade, é submetido a mau tempo. Começa com um assalto de banco, ou uma tentativa de. Pattinson e o irmão meio lesado, interpretado pelo diretor Ben(ny) Safdie, separam-se na fuga e o broder, preso e ferido, é levado para o hospital. Na tentativa de resgatá-lo, o (anti)herói conhece o inferno.

Há um pouco – muito? – do espírito de Martin Scorsese, mas do tempo em que ele era bom. Algo de Taxi Driver, muito mais de Depois de Horas. Você deve lembrar-se de Griffin Dunne perdido na noite do Soho. Pattinson perde-se agora em Adventureland, o parque de East Farmingdale que foi o paraíso da infância dos diretores.

Em Cannes, os Safdie disseram que tudo os levava de volta a Adventureland. Talvez, no inconsciente, eles tenham feito esse filme para esse (eterno) retorno.

Bom Comportamento não é um estudo de personagem. É um filme sobre um lugar – que talvez só exista no imaginário. Os Safdie quiseram trazer para o agora – now – um sentimento de urgência que o cinéfilo aprendeu a identificar nos rebeldes com causa dos anos 1970. “Se você comete um crime, o tempo para.” É essa sensação de estar em suspenso, no meio da maior adrenalina, que o filme passa. A longa noite de loucuras de Pattinson tentando libertar o irmão, Uma história de afeto. “Benny não julga, é puro num mundo caótico, e impuro”, diz Josh.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.