Lucas Jackson/Reuters
Lucas Jackson/Reuters

Robert Downey Jr. responde a diretor e é acusado de racismo contra latinos

Ator ataca o mexicano González Iñárritu, que considera filmes de super-heróis 'genocídio cultural'

O Estado de S. Paulo

28 de abril de 2015 | 15h36

 O ator Robert Downey Jr. está sendo acusado de racismo por causa de uma declaração que fez contra o diretor mexicano Alejandro González Iñárritu, o grande vencedor do Oscar de 2015, por Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância), com quatro estatuetas, inclusive de filme e diretor. 

Downey Jr. ficou irritado com uma fala de Iñárritu, criticando filmes de super-heróis. “Detesto isso, eu não gosto desses personagens. Têm sido um veneno, um genocídio cultural, porque o público fica superexposto à trama, às explosões. Essa m... não significa nada sobre a experiência de ser humano, então filosoficamente eu não gosto”, declarou o cineasta. 

Em resposta, o ator norte-americano, conhecido por estrelar o blockbuster Homem de Ferro no cinema, desabafou: “Olha, eu o respeito. Acho que para um homem, cuja língua nativa é o espanhol, ser capaz de fazer uma frase que tenha as palavras ‘genocídio cultural’, para mim ele é brilhante”.

Rapidamente, a revolta contra o ator tomou as redes sociais. A comunidade latina considerou a frase como racismo contra os latinos e está à espera de uma desculpa pública do ator. 

A polêmica, que surgiu pelas ofensas a Iñárritu, que orgulha milhões de mexicanos por sua vitória nos EUA, também expõe as relações sempre complexas entre os dois países.

Na verdade, as afirmações de Iñárritu foram feitas no ano passado, à revista Deadline, e um repórter do jornal inglês Guardian usou-as agora em entrevista com Downey Jr., no que pareceu ser uma provocação ao ator. 

Tudo o que sabemos sobre:
Robert Downey Jrcinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.