Divulgação
Divulgação

'Rio' lidera novamente as bilheterias mundiais

O filme também foi a maior estreia nos cinemas da América do Norte: arrecadou US$ 40 milhões

REUTERS

18 Abril 2011 | 09h09

A animação em 3D Rio, sobre as aventuras de uma arara brasileira, ficou no topo das bilheterias mundiais neste final de semana pela segunda vez consecutiva, disse a distribuidora 20th Century Fox no domingo.

O filme também foi a maior estreia nos cinemas da América do Norte e arrecadou um valor estimado de 40 milhões de dólares em ingressos nos Estados Unidos e no Canadá nos três dias entre 15 e 17 de abril.

O Brasil, onde também manteve a liderança, contribuiu com o maior volume de vendas nas bilheterias internacionais, com 18,9 milhões de dólares até o momento. A arrecadação total do filme aumentou para 129 milhões de dólares, após um final de semana de 54 milhões de dólares no final de semana em 62 países.

O sucesso do filme também foi uma boa notícia para as bilheterias deste ano, que por enquanto caíram 19 por cento para 2,65 bilhões de dólares, segundo analistas do Hollywood.com.

Rio, que custou 90 milhões de dólares para ser produzido, conta a história de Blu, uma arara rara (na voz de Jesse Eisenberg, de A Rede Social, na versão original), que retorna ao Brasil após uma vida mimada como um animal de estimação contrabandeado nos Estados Unidos. A produção foi dirigida por Carlos Saldanha, que nasceu no Rio de Janeiro e dirigiu a trilogia de A Era do Gelo, da Fox.

O segundo lugar na América do Norte ficou com Pânico 4, o primeiro filme da franquia de terror em 11 anos.

O lançamento da Dimension Films vendeu cerca de 19,3 milhões de dólares em ingressos nos Estados Unidos e no Canadá.

A animação Hop - Rebeldes sem Páscoa escorregou para o terceiro lugar depois de liderar as bilheterias por duas semanas, arrecadando 11,2 milhões de dólares. O total acumulado na América do Norte atingiu 82,6 milhões de dólares.

(Reportagem de Dean Goodman)

Mais conteúdo sobre:
FILME BOXOFFICE RIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.