Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

'Rio I Love You’ está nascendo

Carlos Saldanha filma com Rodrigo Santoro episódio da franquia no Teatro Municipal

Luiz Carlos Merten / Rio, O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2013 | 19h27

Na entrevista que deu ao Estado, por ocasião da estreia de Truque de Mestre, de Louis Leterrier, Jesse Eisenberg falou com o maior carinho de Carlos Saldanha. Ele é um dos atores que fornecem a voz aos personagens de Rio. Disse que aprendeu a amar o Brasil por intermédio de Saldanha, que fica o tempo todo falando de música, comida e das belezas do País. O próprio Saldanha participou na última segunda, 5/8, com outro parceiro de Rio – Rodrigo Santoro, o dublador brasileiro – da coletiva de Rio I Love You.

Há quase um ano, em 9 de setembro de 2012, o Estado anunciou que a Conspiração iria fazer o filme brasileiro da franquia I Love You, uma invenção do produtor francês Emmanuel Benbihy para celebrar as que ele chama de ‘cities of love’. Depois de Paris e Nova York, chega a vez do Rio e o produtor Leonardo Barros confirmou os nomes de nove dos 11 diretores – Saldanha, Im Sang-soo, Fernando Meirelles, Andrucha Waddington, Stephen Elliott, José Padilha, Guillermo Arriaga e Nadine Labaki. Vicente Amorim vai fazer as cenas de ligação. Barros também informou que a canção tema será composta e interpretada por Gilberto Gil. A Warner será a empresa distribuidora.

Os dois primeiros segmentos começam a ser rodados nesta semana – Saldanha filma nesta segunda e terça, o coreano Sang-soo na quinta e sexta. Há uma semana Saldanha ensaia com Rodrigo Santoro e Bruna Linzmeyer. Como todos os episódios, é uma história de amor, a de um casal de bailarinos. A locação é essencial. Saldanha diz que o Teatro Municipal é ‘uma joia’, ‘um tesouro’. A coletiva realiza-se no tesouro mais escondido do Municipal, o Salão Assírio, no subsolo, com seus belos relevos. “Em Rio, o Carlos (Saldanha) me fez trabalhar a voz. Aqui, a ferramenta é principalmente o corpo”, definiu Rodrigo. O episódio mistura animação com live action e Bruna e ele foram preparados por um casal de bailarinos – Cassi Abranches criou a coreografia sobre um tema de Heitor Villa-Lobos (e também vai dançar com Diogo de Lima).

Sobre a declaração de Jesse Eisenberg ao Estado, Saldanha comenta – “Quando começamos a trabalhar no primeiro Rio, acho que o Jesse não acreditava muito que a cidade pudesse ser daquela forma. Acho que ele ficava imaginando que eu tinha me dado alguma liberdade artística. Quando viemos para cá, foi muito divertido acompanhar a surpresa dele ao ver que o filme tinha, sim, autenticidade”. É essa autenticidade que ele quer colocar em seu episódio – sua nova declaração de amor à cidade. Rio I Love You.

O coreano Sang-soo e sua homenagem a todos os garçons

Im Sang-soo, o diretor de A Empregada e O Gosto do Dinheiro, lembra-se exatamente do momento em que seu segmento de Rio I Love You começou a nascer. “Como convidado do Festival do Rio, eu comia com um grupo de diretores no Bar do Luiz. E havia esse garçom que nos servia. Não pude deixar de pensar que aquele cara tão correto e gentil talvez não pudesse pagar o que nos servia. Quando me propuseram fazer o filme, pensei nele. É uma homenagem a todos os garçons que já me serviram na vida.”

Sang-soo vai filmar com atores brasileiros – Tonico Pereira e Roberta Rodrigues, ambos falando português nos poucos diálogos. E escolheu o Vidigal como locação. Quem viu seus filmes – e os dois citados participaram da seleção de Cannes –, sabe que ele é atraído por temas como sexo, poder e dinheiro. Roberta Rodrigues tem o molejo da mulher brasileira. “Ela é muito sensual”, define Sang-soo, entusiasmado com a sua estrela.

Ele conta que, na Coreia, é reconhecido como diretor de filmes sobre e para o público adulto. “Nem A Empregada nem O Gosto do Dinheiro agradaram aos jovens.” Para tentar mudar isso, o próximo Im Sang-soo será sobre e para os jovens. “O filme será libertário e rebelde como a juventude.” Ele volta logo à Coreia para terminar a pré-produção. Filma em outubro. Cannes, em 2014? “Não sei. Não quero fazer um filme tão sério, no tom, mas acho que será interessante.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.