Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

'Rio I Love You’ está nascendo

Carlos Saldanha filma com Rodrigo Santoro episódio da franquia no Teatro Municipal

Luiz Carlos Merten / Rio, O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2013 | 19h27

Na entrevista que deu ao Estado, por ocasião da estreia de Truque de Mestre, de Louis Leterrier, Jesse Eisenberg falou com o maior carinho de Carlos Saldanha. Ele é um dos atores que fornecem a voz aos personagens de Rio. Disse que aprendeu a amar o Brasil por intermédio de Saldanha, que fica o tempo todo falando de música, comida e das belezas do País. O próprio Saldanha participou na última segunda, 5/8, com outro parceiro de Rio – Rodrigo Santoro, o dublador brasileiro – da coletiva de Rio I Love You.

Há quase um ano, em 9 de setembro de 2012, o Estado anunciou que a Conspiração iria fazer o filme brasileiro da franquia I Love You, uma invenção do produtor francês Emmanuel Benbihy para celebrar as que ele chama de ‘cities of love’. Depois de Paris e Nova York, chega a vez do Rio e o produtor Leonardo Barros confirmou os nomes de nove dos 11 diretores – Saldanha, Im Sang-soo, Fernando Meirelles, Andrucha Waddington, Stephen Elliott, José Padilha, Guillermo Arriaga e Nadine Labaki. Vicente Amorim vai fazer as cenas de ligação. Barros também informou que a canção tema será composta e interpretada por Gilberto Gil. A Warner será a empresa distribuidora.

Os dois primeiros segmentos começam a ser rodados nesta semana – Saldanha filma nesta segunda e terça, o coreano Sang-soo na quinta e sexta. Há uma semana Saldanha ensaia com Rodrigo Santoro e Bruna Linzmeyer. Como todos os episódios, é uma história de amor, a de um casal de bailarinos. A locação é essencial. Saldanha diz que o Teatro Municipal é ‘uma joia’, ‘um tesouro’. A coletiva realiza-se no tesouro mais escondido do Municipal, o Salão Assírio, no subsolo, com seus belos relevos. “Em Rio, o Carlos (Saldanha) me fez trabalhar a voz. Aqui, a ferramenta é principalmente o corpo”, definiu Rodrigo. O episódio mistura animação com live action e Bruna e ele foram preparados por um casal de bailarinos – Cassi Abranches criou a coreografia sobre um tema de Heitor Villa-Lobos (e também vai dançar com Diogo de Lima).

Sobre a declaração de Jesse Eisenberg ao Estado, Saldanha comenta – “Quando começamos a trabalhar no primeiro Rio, acho que o Jesse não acreditava muito que a cidade pudesse ser daquela forma. Acho que ele ficava imaginando que eu tinha me dado alguma liberdade artística. Quando viemos para cá, foi muito divertido acompanhar a surpresa dele ao ver que o filme tinha, sim, autenticidade”. É essa autenticidade que ele quer colocar em seu episódio – sua nova declaração de amor à cidade. Rio I Love You.

O coreano Sang-soo e sua homenagem a todos os garçons

Im Sang-soo, o diretor de A Empregada e O Gosto do Dinheiro, lembra-se exatamente do momento em que seu segmento de Rio I Love You começou a nascer. “Como convidado do Festival do Rio, eu comia com um grupo de diretores no Bar do Luiz. E havia esse garçom que nos servia. Não pude deixar de pensar que aquele cara tão correto e gentil talvez não pudesse pagar o que nos servia. Quando me propuseram fazer o filme, pensei nele. É uma homenagem a todos os garçons que já me serviram na vida.”

Sang-soo vai filmar com atores brasileiros – Tonico Pereira e Roberta Rodrigues, ambos falando português nos poucos diálogos. E escolheu o Vidigal como locação. Quem viu seus filmes – e os dois citados participaram da seleção de Cannes –, sabe que ele é atraído por temas como sexo, poder e dinheiro. Roberta Rodrigues tem o molejo da mulher brasileira. “Ela é muito sensual”, define Sang-soo, entusiasmado com a sua estrela.

Ele conta que, na Coreia, é reconhecido como diretor de filmes sobre e para o público adulto. “Nem A Empregada nem O Gosto do Dinheiro agradaram aos jovens.” Para tentar mudar isso, o próximo Im Sang-soo será sobre e para os jovens. “O filme será libertário e rebelde como a juventude.” Ele volta logo à Coreia para terminar a pré-produção. Filma em outubro. Cannes, em 2014? “Não sei. Não quero fazer um filme tão sério, no tom, mas acho que será interessante.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.