AP
AP

Ricardo Darín diz que Oscar para filme argentino foi milagre

'Foi milagroso. Vi os quatro e era bastante difícil. Todos são muito bons', disse o ator que não foi a Los Angeles

EFE,

08 Março 2010 | 18h13

O ator argentino Ricardo Darín afirmou hoje ser "milagroso" que o "O Segredo dos Seus Olhos", que protagoniza, tenha recebido o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, e disse que o longa tem o humor que faltou aos outros indicados.

 

"Foi milagroso. Vi os quatro e era bastante difícil. Os quatro são muito bons", explicou hoje o ator em um hotel de Buenos Aires.

 

Veja também:

mais imagens Galeria de Fotos: veja imagens da noite de gala

especial Especial - Os 81 melhores filmes da história

blog Gabi & Croc - Histórias do Oscar no Twitter

Blog de Moda: os modelitos do tapete vermelho

lista Confira a lista dos vencedores do Oscar 2010

blog Veja como foi a cerimônia

 

Foi o segundo Oscar na categoria vencido por um filme argentino. A primeira vez havia sido com "A História Oficial", de 1985.

 

Darín contou que tinha esperança de que o filme, dirigido por Juan José Campanella, o segundo Oscar do cinema argentino.

 

"Quando comecei a ver os outros filmes comecei a ver que podíamos ganhar. Era oferecida na nossa história uma brecha através da qual se pode contar uma história dura e áspera sem inabilitar o humor e a cotidianidade", explicou.

 

Para o artista, "o mais importante é que a história chegou às pessoas e mobilizou os que foram vê-la".

Já a atriz Soledad Villamil, também protagonista do filme, exaltou o trabalho de Campanella.

 

"Juan é o único diretor argentino que tem duas indicações e um Oscar, o que fala de seu grande talento e do grande talento do cinema argentino", enfatizou a atriz, que, a exemplo de Darín, não foi à festa em Los Angeles.

 

"O Segredo dos Seus Olhos" desbancou o alemão "A Fita Branca", de Michael Haneke, considerado o grande favorito da categoria, para receber o prêmio das mãos dos cineastas Pedro Almodóvar e Quentin Tarantino.

 

Também brigavam pela estatueta de Melhor Filme Estrangeiro o israelense "Ajami", o peruano "O Leite da Amargura" e o francês "Um Profeta".

Mais conteúdo sobre:
Ricardo Darín

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.