Reino Unido proíbe anúncio do filme de Angelina Jolie

Agência reguladora de propaganda afirma que cartazes de 'O Procurado' faz apologia ao uso de armas

Efe,

08 de setembro de 2003 | 13h07

A agência britânica reguladora de publicidade proibiu nesta quarta-feira, 3, a divulgação de dois cartazes promocionais do filme O Procurado, protagonizado por Angelina Jolie, por considerar que projetam uma imagem glamourosa da violência e do uso das armas. Divulgação Após receber 18 reclamações de cidadãos ofendidos por os anúncios, a Advertising Standards Authority (ASA) determinou que a produtora do filme, a Universal Pictures, "não deve" voltar a utilizá-los "em sua forma atual". Em um dos anúncios, Angelina aparece abaixada com uma arma e, no fundo da cena, o ator James McAvoy está apontando com duas pistolas para as pessoas que passam. No segundo, há várias cenas de ação do filme nas quais aparecem os dois intérpretes também armados, enquanto se lê a seguinte mensagem: "Há seis semanas, era como você. E então a conheci. E minha vida mudou para sempre". No relatório publicado em seu site, a ASA indicou que, apesar de que a maioria dos espectadores pode deduzir que se trata de um filme, poderia chegar a ser interpretado que "a vida do personagem mudou para melhor desde que se torno um assassino". Isto, segundo a autoridade, junto com o fato de uma atriz "com glamour" aparece em uma atitude de ação, "dá glamour ao uso das armas e à violência". Nas conversas que o organismo regulador teve com a Universal Pictures, a produtora disse que estes dois anúncios publicitários não voltarão a aparecer no futuro.

Tudo o que sabemos sobre:
WantedAngelina JolieO Procurado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.