Reino Unido "censura" trilha sonora de O Código da Vinci

O filme O Código da Vinci, que estreará em breve no Reino Unido e no Brasil, mostra uma série de assassinatos sangrentos e a autoflagelação de um monge, mas os censores britânicos só contestaram sua trilha sonora e seus efeitos especiais.O destaque é do jornal The Sunday Telegraph, que afirma que o conselho que classifica os filmes se recusou inicialmente a conceder à adaptação cinematográfica do best-seller de Dan Brown o certificado 12A (para crianças com menos de 12 anos acompanhadas).A justificativa do British Board of Film Classification (Conselho Britânico para a Classificação de Filmes) à produtora Sony foi que a música era muito tensa para as crianças menores e que os níveis sonoros acentuavam a violência.De acordo com o órgão, a menos que a Sony alterasse substancialmente a trilha sonora do filme, só concederia o certificado de liberado para maiores de 15 anos.Diante da perda de receita nas bilheterias que a limitação de público representaria, a produtora decidiu amenizar a trilha sonora. Com isso, o conselho finalmente garantiu a classificação solicitada.De acordo com Sue Palmer, especialista em desenvolvimento infantil, "a trilha sonora é outra dimensão que reforça o que vemos sem ter consciência disso. Mas as crianças ainda verão cenas violentas que dificilmente serão capazes de processar".O Código da Vinci conta a história de uma violenta conspiração para esconder que Cristo na realidade se casou com Maria Madalena e gerou uma linhagem de reis franceses.A música do filme é de Hans Zimmer, compositor alemão de 49 anos que também compôs para filmes como Batman Begins e Gladiador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.