AFP
AFP

Receita do cinema desacelera na China, segundo maior mercado do mundo

País limita rigorosamente, mediante um sistema de cotas, o número de filmes estrangeiras que podem ser exibidos em suas salas

AFP

04 Janeiro 2017 | 15h14

A receita do cinema chinês cresceu apenas 3,7% em 2016, em clara desaceleração, depois de ter aumentado 30% anuais durante uma década, devido, em parte, a muitos filmes locais medíocres e ao combate à fraude.

As receitas de bilheteria foram de 45,7 bilhões de iuanes (6,25 bilhões de euros, US$ 6,55 bilhões) no ano passado na China, informou na segunda-feira a agência estatal de imprensa, rádio, cinema e televisão (SAPPRFT).

A desaceleração é considerada expressiva após o aumento de 48% em 2015.

Ainda assim, a China continua sendo o segundo mercado do mundo depois dos Estados Unidos. Além disso, é um cliente importante para os estúdios de Hollywood, cujas superproduções fazem muito sucesso no país asiático.

O número de espectadores de cinema na China subiu 8,9% no ano passado, e os filmes estrangeiros geraram uma receita 10,9% maior, um ritmo de crescimento muito superior ao das películas chinesas, arrasadas pela crítica e ignoradas pelo público.

A China limita rigorosamente, mediante um sistema de cotas, o número de filmes estrangeiras que podem ser exibidos em suas salas.

Segundo especialistas, o setor na China é prejudicado pela grande quantidade de filmes fracos, pela limitação de um sistema de 'tickets' subsidiados que aumenta artificialmente as receitas e por uma campanha contra as fraudes às receitas de bilheteria. Uma lei foi votada em novembro para combater esse tipo de fraude.

 

Mais conteúdo sobre:
Mercado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.