Rappers fazem história no Oscar

Prostitutas e gigolôs povoam a esquina entre a Rua 7 e North Memphis. Uma morena sedutora gira em torno de um poste de luz. Uma briga começa entre dois clientes em potencial. Lá perto, num quarto revestido com papelão de embalagens de bebida, alguns sonhadores ensaiam um rap. Dificilmente o tipo de cena que se esperaria ver no Teatro Kodak, às vésperas da festa do Oscar. Mas neste ano o prêmio desbrava novo território, fazendo história com sua primeira performance de rap. Com o acompanhamento de dançarinas, os rappers Three 6 Mafia executarão a canção "It´s Hard Out Here for a Pimp´´, do filme "Hustle & Flow". "Temos um grande peso nos ombros", diz Jordan "Juicy J" Houston, um dos componentes do Three 6 Mafia. "Estamos levando hip-hop e o rap do sul, além de nossas carreiras estarem em jogo.Mas é uma bênção estar perto desses figurões".Um pequeno sinal e o palco do Oscar se transforma numa esquina de uma rua do sul dos EUA. Uma cerca quebrada revela uma lata de lixo amassada e uma pilha de pneus velhos. Um menino passa de bicicleta. Atrás dele, o estúdio improvisado onde o protagonista do filme, interpretado pelo ator indicado ao Oscar Terrence Howard, compõe rap. Mas agora, o estúdio abriga Paul "DJ Paul´´ Bauregard, Darnell "Crunchy Black´´ Carlton and Cedric "Frayser Boy´´ Coleman, além de Houstone da atriz Taraji P. Henson, que canta no filme, preparando-se para a performance da noite de domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.