Stefan Wermuth/ Reuters
Stefan Wermuth/ Reuters

Rachel Weisz diz que perda de poder de Weinstein rompeu a lei do silêncio

Para a atriz, de 47 anos, isto não teria acontecido se a estrela do produtor não estivesse em queda

AFP

25 Janeiro 2018 | 12h45

As mulheres que acusaram Harvey Weinstein de abusos sexuais foram finalmente ouvidas por que o produtor americano havia perdido poder, afirmou a atriz britânica Rachel Weisz em uma entrevista ao jornal Evening Standard.

Mais de 100 mulheres acusaram Harvey Weinstein de assédio sexual, abusos ou estupros desde que uma reportagem do New York Times de 5 de outubro revelou sua conduta ao longo de 20 anos.

Para Rachel Weisz, de 47 anos, isto não teria acontecido se a estrela de Weinstein não estivesse em queda. Ela citou o exemplo de sua amiga Sophie Dix, atriz britânica, que acusou o produtor de abuso sexual em um quarto de hotel quando ela tinha 22 anos.

** Quem é Harvey Weinstein?

"Minha amiga Sophie Dix está falando sobre isto desde os anos 1990. Ela contou a história a quem quisesse ouvir nos últimos 20 anos. E ninguém parecia se importar", disse Weisz, vencedora do Oscar de atriz coadjuvante em 2006.

"Acredito que seu poder estava em queda", destacou Weisz como a principal razão da mudança.

** James Franco vai do céu ao inferno com elogios a 'O Artista do Desastre' e acusações de assédio

"O mesmo aconteceu com Bill O’Reilly, com Charlie Rose (dois apresentadores americanos acusados de condutas similares). É uma questão econômica, já não faziam muito dinheiro", completou.

** Netflix perde US$39 mi por escândalo envolvendo Kevin Spacey

Weisz expressou a esperança de "mudanças estruturais".

"Que as mulheres que não contam com grandes plataformas no Twitter, que são enfermeiras ou trabalham em escritórios, sintam que podem falar com os chefes".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.