Reprodução YouTube
Reprodução YouTube

Quem é Edilásio Barra, o novo diretor da Ancine responsável pelo Fundo Setorial do Audiovisual

Colunista social, ele apresentou por muito tempo e programa VIP e tentou entrar na política em 2012 - mas os 714 votos recebidos não o elegeram vereador do Rio

Redação, O Estado de S. Paulo

24 de outubro de 2019 | 12h26

Nascido em Belém em 1963 e radicado no Rio de Janeiro ainda na infância, Edilásio Santana Barra Júnior, também conhecido como Tutuca, é jornalista, apresentador de TV, já trabalhou como figurante em novelas e programas de TV, é empresário na área de eventos e pastor. 

E Tutuca é, desde quarta-feira, 23, superintendente de Desenvolvimento Econômico da Agência Nacional do Cinema (Ancine). Seu nome foi anunciado agora, mas ele tem passado, desde o início do ano, por cargos na área da cultura do governo federal. Segundo a Coluna do Estadão, Edilásio Barra é aliado do deputado federal Éder Mauro (PSD-PA), por sua vez próximo do presidente Jair Bolsonaro.

A direção que Tutuca assume é responsável pelo Fundo Setorial do Audiovisual, que, em 2018, investiu cerca de R$ 800 milhões no mercado brasileiro — o principal instrumento de fomento direto do audiovisual no País.

Filho de Edilásio Barra, que foi empresário de artistas como Waldik Soriano, Alcione, Agepê e Vanusa, entre outros, ele se formou em Comunicação Social pela Faculdade Hélio Alonso em 1984. Um ano depois, fez sua primeira novela - ele foi figurante em Roque Santeiro, exibida pela TV Globo entre 1985 e 1986.

Em 2011, fundou a Igreja Continental do Amor de Jesus, que não existe mais. E em 2012 tentou entrar para a política. Sua candidatura a vereador do Rio de Janeiro pelo PSD, porém, não emplacou: ele recebeu apenas 714 votos.

Em seu currículo no Linkedin, ele diz ainda que fez pós-graduação em Docência do Ensino Superior pela Universidade Cândido Mendes entre 2003 e 2004 e que é, desde março de 2018, diretor comercial da Vip Consultoria e Marketing e, desde março de 2000, diretor da VIP Produções Artísticas. É também, ainda segundo seu currículo no Linkedin, desde 2000, “empresário” na VIP Empreendimentos Artísticos. VIP é o nome do programa que ele apresentou na CNT e RedeTV! ao longo de uma década e que lhe rendeu o apelido de Amaury Jr. Carioca.

“Na área comercial devido ao grande sucesso do Programa VIP gerenciamos algumas empresas na relação institucional com o mercado, na área de novos negócios desde a implantação até instalação de novas empresas e lançamento de novos produtos. Na área de marketing e publicidade realizo assessorias em algumas empresas de atacado e varejo, shopping centers e de políticos realizando campanhas políticas (vereador, prefeito,dep, estadual, federal,governador, senador) em todo Brasil. Na área de eventos corporativos produzimos toda a logística desde da contratação do buffet, decoração, palco, iluminação, som, dj's , cantores, atores e banda para melhor realização do evento. Enfim entregamos o evento pronto”, explica no currículo.

Na TV, onde começou como dançarino, atuou ainda como diretor de Rio de Prêmios, exibido pela TV Record, e do programa de esporte Copa Super 7, da RedeTV!. Apresentou o programa Café Sucata Show e passou, antes, segundo já relatou, por produções como Trapalhões, Viva o Gordo, A Praça é Nossa, Pirlimpimpim 1Pirlimpimpim 2.

Atualmente, Edilásio tem aparecido mais em vídeos ligados do governo de Jair Bolsonaro. Em um vídeo caseiro postado no YouTube em fevereiro, o jornalista apresenta o novo canal TV EB, um “canal de direita, preservando os bons costumes, respeito à família, honrando pai e mãe”. Em outro vídeo, ele diz que o objetivo do canal é “divulgar tudo o que for da direita para endireitar o nosso País”. Na página do canal no YouTube é possível ver, ainda, um vídeo feito no Natal de 2016, quando Edilásio foi à casa de Bolsonaro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.