"Quase Famosos" ilumina os bastidores do rock

Lori Maddox, Pamela des Barres, Sable Starr, Nancy Spungen, Courtney Love. Os bastidores do rock dos anos 60 e 70 foram povoados dessas meninas, fãs de platéia e cama, que eram chamadas de groupies. Combustível e alma do circo do rock-n´-roll, elas sempre estiveram por aí, cercando piscinas em festivais, subindo escondidas aos quartos de hotel depois de pagar propina a arrumadeiras e seguranças, partindo corações e despedaçando sua auto-estima. Vieram às dezenas ao Rock in Rio por um Mundo Melhor, por exemplo. Nesta sexta-feira, mais que nunca, elas dominam a cena com a estréia de Quase Famosos, um filme genuinamente roqueiro, um pequeno cult que vai tentar ensinar à grande platéia a odisséia moderna que é conseguir um backstage pass ou uma camiseta com a inscrição "all access"A história em progresso da banda de rock Stillwater (fictícia), que almeja ocupar o Olimpo desfrutado por Stones e The Who, é o epicentro de Quase Famosos. Ao som de Simon & Garfunkel, Beach Boys, Lynyrd Skynyrd, Allman Brothers, Cat Stevens e Led Zeppelin, o espectador vai sendo conduzido por um mundo de inocências perdidas.Garoto precoce, filho de uma mãe dominadora e espartana, William Miller (Patrick Fugit) quer ser jornalista da Rolling Stone. Tem de mentir e faltar aos testes na faculdade para acompanhar a turnê dos emergentes do Stillwater. Penny Lane (Kate Hudson, a maior contribuição de Goldie Hawn para a humanidade) quer o guitarrista Russel Hammond (Billy Crudup), e para isso finge ser o que não é. Guitarrista e vocalista disputam a liderança, fãs disputam atenção, managers se digladiam por migalhas. As pequenas farsas de cada integrante desse circo vão ruindo durante a turnê, até desabarem por completo num avião que ameaça cair, em gags impagáveis - o baterista gay, a namorada que todo mundo degustou, o empresário canalha que atropelou e fugiu.Quase Famosos tem outro mérito: é um dos primeiros filmes a tratar também dos bastidores do jornalismo do show business, essa atividade quase glamourosa, quase bem-paga, quase reconhecida, que ocasionalmente é chamada de "perfumaria" pelos diretores de revistas. Como ser um crítico de rock de sucesso, desses que têm capacidade de destruir ou de forjar reputações? "Seja honesto, seja impiedoso."O conselho do velho cronista do rock Lester Bangs (Philip Seymour Hoffman, extraordinário) para o novato William Miller resume o dilema do crítico musical (e também de teatro ou cinema): como dizer a alguém que o caminho que escolheu é equivocado? Talvez, para resolver o enigma que a esfinge da crônica pop propõe, seja necessário recorrer a um epíteto antigo e moderno e essencial, de Baudelaire. "Por delicadeza, perdi minha vida." Quase se aplica a Quase Famosos.Quase Famosos (Almost Famous). Drama Musical. Direção de Cameron Crowe. EUA/2000. Duração: 122 minutos. Belas Artes-Aleijadinho, Butantã 2, Center Iguatemi 2, Center Norte 3, Morumbi 3, Paulista 2, West Plaza 1, às 14 horas, 16h30, 19 horas e 21h30. Jardim Sul UCI 11, às 14h45, 17h20, 19h55 e 22h30 . Marabá, às 13h30, 16 horas, 18h30 e 21 horas. Market Place Cinemark 3, às 12h40, 15h30, 18h30 e 21h30 . Pátio Higienópolis Cinemark 6, às 12h15, 15h15, 18h15 e 21h10 . SP Market Cinemark 4, às 13h20, 16 horas, 18h40 e 21h20 . 12 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.