Jordan Strauss/Invision/AP, File
Jordan Strauss/Invision/AP, File

Número de protagonistas femininas se reduziu nos filmes mais lucrativos de 2017

Pesquisa de universidade americana verificou redução na proporção de mulheres nos papeis principais, mesmo no ano da 'Mulher Maravilha'

Jake Coyle, AP

23 de fevereiro de 2018 | 09h55

NOVA YORK — Ainda que 2017 tenha sido o ano da Mulher Maravilha, um estudo publicado na quinta-feira, 22, descobriu que as protagonistas femininas se reduziram em 5% entre os filmes mais lucrativos do ano passado.

O Centro para Estudos das Mulheres no Cinema e na Televisão, na San Diego State University, publicou a pesquisa anual "It's A Man's (Celluloid) World (é um mundo masculino, de celuloide), no qual revelou que as mulheres tiveram 24% dos personagens principais no ano passado, em comparação com 29% de 2016, apesar de grandes estreias, como Star Wars: Os Últimos Jedi e A Bela e a Fera (dois dos filmes mais lucrativos de 2017).

Os pesquisadores concluíram que apesar de que 32% dos filmes tiveram 10 ou mais personagens femininas com diálogos, 79% tinham 10 ou mais personagens masculinos.

"Em uma temporada em que o debate sobre as mulheres e a igualdade de gênero tem sido central, precisamos separar a hipérbole da realidade", disse a diretora executiva do centro da San Diego State, Martha Lauzen. "O número ainda não reflete os pedidos para uma mudança maior ou massiva na indústria cinematográfica."

Apesar da redução, as personagens femininas negras aumentaram de 14 a 16%, e as latinas passaram de 3 a 7%. As personagens femininas asiáticas aumentaram de 6 a 7%.

O estudo analizou 2.361 personagens dos 100 filmes que mais arrecadaram dinheiro de bilheteria em 2017. A pesquisa ocorre desde 2002.

Tudo o que sabemos sobre:
Mulher MaravilhaStar Warscinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.