Produtor de "O Pianista" é investigado na Polônia

Um dos produtores de O Pianista e A Lista de Schindler está envolvido num escândalo de corrupção que pôs em xeque a credibilidade de altos funcionários do governo da Polônia. Lew Rywin, de 58 anos, é acusado de pedir US$ 17,5 milhões a uma empresa polonesa de mídia a fim de subornar integrantes do governo para beneficiá-la. Conforme as investigações, Rywin teria se oferecido para conseguir do governo uma permissão legal para que a empresa Agora SA, que publica o jornal Gazeta Wyborcza, comprasse uma rede nacional de TV.Rywin teria procurado a empresa em nome do primeiro-ministro Leszek Miller e de "um grupo poderoso" em julho do ano passado. Depois disso, o editor chefe da Gazeta Wyborcza avisou o primeiro-ministro da tentativa de suborno. No entanto, o governo não teria passado a denúncia aos promotores, como manda a lei da Polônia para casos em que o governante toma conhecimento de casos de corrupção. Cinco meses depois, o próprio jornal publicou a história do encontro com Rywin e seu pedido de US$ 17,5 milhões. Na época, o jornal citou uma conversa secretamente gravada que incriminaria o produtor.Por não ter alertado os promotores a tempo, o primeiro-ministro polonês está sendo investigado separadamente. Quando Rywin supostamente procurou a empresa a Gazeta Wyborcza, em julho de 2002, a Polônia discutia medidas do governo que restringiriam a propriedade particular de redes de rádio e televisão. A Agora SA, que edita a Gazeta, também é proprietária de estações de rádio e tinha interesse em adquirir uma cadeia de TV.Segundo o promotor encarregado das investigações, a acusação contra o produtor de O Pianista é baseada em depoimentos de mais de 70 testemunhas. Rywin negou todas as acusações. Se for condenado, poderá pegar três anos de prisão. A promotoria já confiscou seu passaporte. Leszek Miller também negou participação no escândalo. Seu depoimento foi transmitido ao vivo pela televisão.

Agencia Estado,

09 de junho de 2003 | 14h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.