Produtor de Chicago processa Miramax em US$ 10 milhões

Um produtor do filme ganhador do Oscar Chicago processa a produtora Miramax Films Corp., pedindo US$ 10 milhões dólares, sob a acusação de não ter realizado o pagamento à sua companhia da parte correspondente às centenas de milhões de dólares que ganhou com o filme.O pedido apresentado na segunda pela The Producer Circle Co. (PCC) diz possuir os direitos cinematográficos do musical Chicago, um sucesso da Broadway da década de 1970 cuja adaptação para o cinema foi produzida pela Miramax e pela PCC.PCC disse que, segundo seu acordo com a Miramax, devia receber parte dos lucros do filme. Martin Richards, fundador e presidente da PCC, dissepor meio de documentos apresentados na corte que um dos fundadores da Miramax Bob e Harvey Weinstein produziram Chicago. O filme teve sua estréia mundial em 2002 e foi "o filme mais lucrativo lançado pela Miramax", segundo o processo, O musical ganhou seis prêmios Oscar, incluindo o de melhor filme.A porta-voz da Miramax Emily Baer disse que nãoo poderia fazer comentários porque ainda não tinha visto o processo.O filme, protagonizado por Richard Gere, CatherineZeta-Jones e Renee Zellweger e dirigido por Rob Marshall, se baseou na pela teatral de Bob Fosse e Fred Ebb, já falecidos, que por sua vez basearam seu trabalho em uma obra escrita por Maurine Dallas Watkins.O musical conta a história real de duas mulheres da Chicago dos anos 1920 que alcançaram o estrelado enquanto se encontravam presas, esperando seus respectivos julgamentos por assassinato.A produtora PCC disse acreditar que o filme tenha feito mais de US$ 300 milhões e que a Miramax não pagou a ela a porcentagem devida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.