Produções latino-americanas participam do Festival de Berlim

Obras brasileiras figuram entre os filmes selecionados; José Padilha concorre com 'Tropa de Elite'

Efe,

08 de janeiro de 2017 | 14h24

A 58ª edição do Festival de Cinema de Berlim, que será aberta com o documentário de Martin Scorsese sobre os Rolling Stones, oferecerá uma ampla mostra de diretores da América Latina, como o brasileiro José Padilha, que concorrerá a um dos Ursos de Ouro pelo filme Tropa de Elite.   Ainda não se sabe a lista completa dos filmes que serão exibidos, mas é certo que o cinema latino-americano garantiu representantes no festival que acontecerá de 7 a 17 de fevereiro. Entre os aspirantes aos prêmios está, além de Tropa de Elite, Dreznica, da brasileira Anna Azevedo e Nadie, da argentina Belén Blanco, estão na mostra de curta-metragens.   A seção Panorama incorporou na lista a estréia mundial de La Rabia, da argentina Albertina Carri. La Frontera Infinita, do mexicano Juan Manuel Sepúlveda, será exibido na seção Fórum, comunicou hoje a direção do Festival de Berlim. A co-produção brasileiro-francesa-uruguaia Maré, nossa história de amor, de Lucia Murat, também será exibida na mostra Panorama.   A mesma seção exibirá a co-produção entre México e EUA "Sleep Dealer", de Alex Rivera. Além disso, a mostra trará a estréia de Madonna como diretora com o filme Filth and Wisdom.   Os filmes latino-americanos que foram selecionados expõem temáticas políticas e sociais, como a situação nas favelas brasileiras, em Tropa de Elite, e a onda de imigração em direção aos Estados Unidos, no caso de La Frontera Infinita.   Na mostra Generation, dedicada ao cinema infanto-juvenil, há três títulos brasileiros: Mutum, de Sandra Kogut; Cidade dos Homens, de Paulo Morelli; e Café com Leite, de Daniel Ribeiro.   A retrospectiva do diretor espanhol Luis Buñuel inclui 40 filmes e lembrará a fase mexicana do cineasta, que tem alguns de seus títulos mais importantes, como O anjo exterminador (1962) e Simão do Deserto (1965).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.