"Prisioneiro" é o vencedor do É Tudo Verdade

O documentário O Prisioneiro da Grade de Ferro (auto-retratos) foi o vencedor da 8ª edição do festival de documentários É Tudo Verdade. Ao todo, o filme de Paulo Sacramento levou quatro prêmios: melhor documentário nas competições brasileira e internacional, prêmio da Associação Brasileira de Documentaristas e um dos prêmios Estímulo do Ministério da Cultura. A entrega dos prêmios do festival aconteceu na noite deste domingo no CineSesc, em São Paulo. Outro filme que se destacou na premiação do festival é Dormentes, vídeo de Inês Cardoso que ficou com o prêmio de melhor curta-metragem brasileiro. Os médias-metragens Recife/Sevilha, João Cabral de Melo Neto, de Bebeto Abranches, e Rio de Fevereiro, de Paschoal Samora, foram os outros filmes premiados pelo Ministério da Cultura. A TV Cultura conferiu seu Prêmio de Documentário 2003, também na cerimônia de entrega do É Tudo Verdade, ao filme Geraldo José ? O Som Sem Barreira, de Severino Dadá. E o prêmio Brasil Documenta, do canal a cabo GNT, foi dado ao filme Rio, Um Dia de Agosto, de Maria Augusta Ramos. Confira abaixo a lista completa dos premiados. Melhor Documentário da Competição Internacional - O Prisioneiro da Grade de Ferro (auto-retratos), de Paulo Sacramento. Prêmio de R$ 7 mil. Menção honrosa - Por Uma Hora a Mais Com Você (Un?Ora Sola Ti Vorrei) , de Alina Marazzi (Itália). Melhor Documentário da Competição Brasileira ? Longa ou Média-Metragem - O Prisioneiro da Grade de Ferro (auto-retratos), de Paulo Sacramento. Prêmio de R$ 7 mil e mais R$ 5 mil Prêmio em equipamentos oferecidos pela empresa Quanta. Menção honrosa - Os Melhores Anos de Nossas Vidas, de Andrea Pasquini. Melhor Documentário da Competição Brasileira em Curta-Metragem - Dormentes, de Inês Cardoso. Prêmio de R$ 3,5 mil, mais R$ 3 mil em equipamentos oferecidos pela empresa Quanta e 40 horas de edição de áudio oferecidas pela empresa Vox Mundi. Menção honrosa - Aurora, de Kiko Goifman e Jurandir Müller. Prêmios Estímulo do Ministério da Cultura - O Prisioneiro da Grade de Ferro (auto-retratos), de Paulo Sacramento, Recife/Sevilha, João Cabral de Melo Neto, de Bebeto Abranches, e Rio de Fevereiro, de Paschoal Samora. Cada filme recebeu R$ 5 mil. Prêmio TV Cultura de Documentários 2003 - Geraldo José ? O Som Sem Barreira, de Severino Dadá. Como prêmio, os direitos de exibição do filme foram comprados pela TV Cultura por R$ 7 mil. Menção honrosa - A Ordem dos Penitentes, de Petrus Cariry. Prêmio GNT/ Brasil Documenta - Rio, Um Dia de Agosto, de Maria Augusta Ramos. Como prêmio, os direitos de exibição foram comprados pelo canal GNT por R$ 7 mil. Prêmio ABD-SP, da Associação Brasileira de Documentaristas - O Prisioneiro da Grade de Ferro (auto-retratos), de Paulo Sacramento. Prêmios: serviço de telecinagem de negativos no Estúdio Mega e revelação de negativos no laboratório Megacolor.

Agencia Estado,

14 de abril de 2003 | 11h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.