Primeiro Plano/ Divulgação
Primeiro Plano/ Divulgação

‘Primeiro Plano - Edição Histórica’ lembra melhores momentos do festival de cinema

Entre 22 e 27 de junho, o público terá acesso gratuito a mais de 50 filmes e a painéis com grandes nomes do cinema, como Sandra Kogut e a diretora de ‘Que Horas Ela Volta?’ Anna Muylaerte

Leon Ferrari, Especial para o Estadão

22 de junho de 2021 | 08h00

Para comemorar as 20 edições do Primeiro Plano - Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades, o grupo Cinéfilos Luzes da Cidade promoverá, entre os dias 22 e 27 de junho, um evento extra: o Primeiro Plano - Edição Histórica. Gratuita e on-line, a semana tem por objetivo revisitar e celebrar o que de melhor aconteceu nas últimas 19 edições do festival, e também proporcionar ao público contato com grandes nomes do cinema por meio de painéis temáticos. A 20ª edição está prevista para o final deste ano. 



Ao todo, serão exibidos mais de 50 filmes, entre curtas e longas, que fizeram parte da história do festival. “É uma seleção do que fez o público vibrar”, conta Aleques Eiterer, um dos criadores e coordenadores do Primeiro Plano. A mostra ocorre por meio da InnSaei.TV, de forma gratuita, basta cadastrar-se na plataforma nacional de streaming, que está disponível para todas as telas e é compatível com os sistemas operacionais Android e iOS.

Os curta-metragens podem ser assistidos a qualquer momento e em qualquer lugar durante o período do evento. A lista com o nome de todos os curtas pode ser conferida no site do Primeiro Plano. Os longa-metragens, no entanto, ficam disponíveis na plataforma apenas durante 24 horas, por isso, um será exibido por dia. 


A Edição Histórica também contará com sessões acessíveis. Nham-Nham, A Criatura, de Lucas de Barros, estará disponível em Libras; Ana, de Vitória Felipe, terá opção de audiodescrição e de legenda; e, por fim, Por Volta das Seis, de Patrícia Almeida, poderá ser apreciado com audiodescrição. 

Para além da mostra, o evento promoverá painéis com nomes importantes no cinema brasileiro, como o da cineasta Sandra Kogut e a diretora de Que Horas Ela Volta? Anna Muylaerte, e internacional, como o do diretor argentino de cinema Pablo Giorgelli. Os 79 primeiros inscritos poderão interagir com os convidados por meio da plataforma de videoconferências Zoom. Para se inscrever, é preciso completar o formulário fornecido pela organização. Os inscritos com presença em ao menos quatro dos painéis, receberão certificado de participação. Quem não conseguir uma vaga poderá acompanhar a conversa por meio de lives no perfil do Primeiro Plano no Facebook

De 23 a 27 de junho, simultaneamente ao evento, 12 aspirantes a cineastas da Zona da Mata de Minas Gerais, previamente selecionados, terão a oportunidade de fazer parte do Laboratório de Curtas Luzes da Cidade 2021. Durante o período, terão a oportunidade de apresentar a proposta de seu primeiro curta-metragem aos consultores Caroline Leone, diretora do longa Pela Janela, ganhador do prêmio Fipresci no Festival de Rotterdam 2017 e selecionado para mais de 20 festivais internacionais; Dani Reule, membro da Academia Internacional de Cinema (AIC); e Maurílio Martins, um dos sócios fundadores da Filmes de Plástico. Ao fim, um trabalho será escolhido para ser produzido, com um prêmio de incentivo de R$ 9 mil.

Entre os selecionados está Bianca Celestino, estudante de cinema da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), de 24 anos, que está ansiosa para apresentar sua proposta de filme. “Vou poder ver se meu roteiro funciona”, conta. Provisoriamente intitulado de Voltas, o projeto de curta dela é de ficção e busca contar a história de uma jovem que volta a viver com os pais, uma realidade comum a muitos estudantes que voltaram a viver com a família por conta da pandemia. 



Além do incentivo para um curta, um longa também será premiado com uma consultoria exclusiva com a roteirista Dani Reule. O Concurso de Argumentos Luzes da Cidade tem o objetivo de selecionar um projeto de filme vindo de qualquer cidade de Minas Gerais.  Os vencedores do Laboratório e do Concurso serão divulgados no sábado, 26, às 19h, antes do bate-papo com Anna Muylaerte.


 

Primeiro Plano - Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades 

Criado em 2002 com o objetivo de incentivar novatos na sétima arte, o Primeiro Plano - Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades chega no final deste ano a sua 20ª edição. O festival é voltado a diretores que estejam estreando nesta função, que têm a possibilidade de exibirem seus primeiros curtas ou longas. 

De certa forma, a história do festival se confunde com a de um de seus criadores: Aleques Eiterer. Natural de Juiz de Fora, em 1995, pela falta de cursos de cinema na cidade natal, mudou-se para Niterói, no Rio de Janeiro, para estudar na  Universidade Federal Fluminense (UFF). Durante a graduação, envolveu-se com festivais universitários de cinema e sentiu a necessidade de trazer iniciativas como essas a Juiz de Fora. “Ali se tinha mais contato somente com o circuito de filmes comerciais”, explica. 

Até 2013, a mostra competitiva estava restrita apenas para cineastas brasileiros. No ano seguinte, o nome do festival ficou mais extenso, passou a contar com o vocábulo mercocidades, o que significa que o Primeiro Plano passou a aceitar filmes de toda América do Sul em sua seleção.  

Em 2020, pela primeira vez, o festival aconteceu de forma completamente remota por meio da InnSaei.TV. De acordo com a organização, a 19ª edição do Primeiro Plano chegou a ter cerca de 5 mil participantes. “O on-line permite que o evento tenha uma abrangência maior”, explica Eiterer. 


 

Confira a programação de longa-metragens na InnSaei.TV 

Os filmes estreiam na plataforma às 19h e ficam disponíveis durante 24 horas:

 

22/6: 'Mutum', de Sandra Kogut

De 2007, o longa se passa em Mutum, pequena cidade do sertão de Minas Gerais. Nela, vive Thiago, de apenas 10 anos. Por meio do olhar do menino é representado o mundo dos adultos que o cercam, com suas traições, violências e silêncios.

 


 

23/6: 'Loki - Arnaldo Baptista', de Paulo Henrique Fontenelle

O documentário apresenta a vida do músico brasileiro Arnaldo Baptista, fundador da banda Os Mutantes. Para isso, conta com entrevistas de diversos artistas.

 


 

24/6: 'Ela Volta na Quinta', de André Novais Oliveira

De 2015, o filme mostra como a crise no relacionamento de um casal de idosos modifica a dinâmica familiar e a rotina dos filhos. O longa acompanha uma família real, a de seu diretor, André Novais.

 


 

25/6: 'Las Acacias', de Pablo Giorgelli

O filme argentino, lançado em 2011, narra a história de Rubén, um caminhoneiro. Acostumado com a solidão da estrada, decide dar carona a uma mulher que não conhecia. Os primeiros momentos de estranhamento são logo substituídos por longas conversas. Recebeu o Prêmio Camera D’Or, o Prêmio da Crítica Jovem e o Prêmio do Grande Prêmio da Semana da Crítica no Festival de Cannes de 2011.

 


 

26/6: 'A Visita' (La Visita), de Mauricio López Fernández

Lançado em 2014, o longa chileno explora o retorno de uma filha para o funeral de seu pai. Acontece que, quando saiu de casa, ainda não havia feito sua transição de gênero. A descoberta da identidade de gênero da filha agita o ambiente familiar, que esperava uma figura masculina para substituir o patriarca que faleceu. 

 


 

Confira a programação de painéis

  • 22/6, às 19h: Conversa com Sandra Kogut, premiada diretora de Mutum. Desde 2016, trabalha como comentarista do programa Estudio i, na Globonews.
  • 23/06, às 20h: Conversa com Rosane Svartman, que dirigiu e escreveu os filmes Como Ser Solteiro e  Desenrola. Tem quatro indicações para o Emmy Internacional e uma ao Rose Do’r. 
  • 24/6, às 19h: Conversa com Jeferson De, diretor da série Pedro e Bianca, ganhadora do Emmy Kids Awards. 
  • 25/6, às 19h: Conversa com Pablo Giorgelli, diretor de Las Acacias. Atualmente finaliza o longa A Encomenda e prepara Trasfondo, que será filmada em 2022.
  • 26/6, às 17h: Conversa com Alice Marconi, roteirista das séries De Volta aos 15, Noturnos e Manhãs de Setembro. É a primeira mulher transsexual a lançar uma carreira no sertanejo, com os singles Pistoleira e Noite Quente
  • 26/06, às 19h: Encerramento com anúncio dos vencedores do Laboratório e do Concurso. Depois, conversa com Anna Muylaerte, diretora do filme Que Horas Ela Volta?, estrelado por Regina Casé e Camila Márdila, dupla que  recebeu o Prêmio especial de melhor atuação no Sundance Film Festival 2015. Como roteirista, escreveu também a série Um Menino Maluquinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.